RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 11 idiomas

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Rótulo ecológico

Arquivos

O rótulo ecológico pretende promover os produtos que podem reduzir os impactos negativos no ambiente comparativamente a outros produtos da mesma categoria.

ACTO

Regulamento (CE) n.º 1980/2000 do Parlamento Europeu e do Conselho de 17 de Julho de 2000, relativo a um sistema comunitário revisto de atribuição de rótulo ecológico.

SÍNTESE

O sistema comunitário de atribuição de rótulo ecológico, ou Eco-Label, destina-se a:

  • promover os produtos com um impacto ambiental reduzido em vez dos demais produtos do mesmo grupo;
  • prestar informações e orientações correctas aos consumidores, assentes numa base científica sobre os produtos.

São excluídos do âmbito de aplicação do regulamento:

  • os produtos alimentares;
  • as bebidas;
  • os produtos farmacêuticos;
  • os dispositivos médicos definidos pela Directiva 93/42/CEE;
  • as substâncias ou preparações classificadas como perigosas nos termos das Directivas 67/548/CEE e 1999/45/CEE;
  • os produtos fabricados por processos susceptíveis de prejudicar de forma significativa o ser humano e/ou o ambiente.

O rótulo ecológico pode ser atribuído aos produtos disponíveis na Comunidade que cumpram determinados requisitos ambientais e os critérios do rótulo.

Os requisitos ambientais são definidos em função da matriz de avaliação que consta do anexo I ao regulamento e estão sujeitos aos requisitos metodológicos constantes do anexo II. O rótulo ecológico pode ser atribuído aos produtos que contribuam de forma significativa para a melhoria de aspectos ecológicos essenciais (ou seja, a interacção com o ambiente, nomeadamente a utilização de energia e de recursos maturais durante o ciclo de vida do produto).

Atribuição do rótulo

Os critérios do rótulo ecológico são definidos por grupos de produtos e assentam no seguinte:

  • perspectivas de penetração do produto no mercado;
  • exequibilidade das adaptações técnicas e económicas necessárias;
  • potencial de melhoria do ambiente.

Estes critérios são definidos, avaliados e revistos pelo Comité do Rótulo Ecológico da União Europeia (CUELE). São publicados no Jornal Oficial da União Europeia.

Os produtos devem preencher as condições seguintes:

  • representar uma quantidade apreciável no mercado interno;
  • ter grande impacto ambiental;
  • apresentar fortes perspectivas de melhoria do ambiente, resultantes da escolha dos consumidores;
  • destinar uma parte considerável do volume de vendas ao consumo final.

Pedido de atribuição do rótulo ecológico europeu:

  • o fabricante, importador, prestador de serviços, retalhista ou comerciante apresenta um pedido à autoridade competente designada pelo Estado-Membro em que o produto é fabricado ou comercializado pela primeira vez ou no qual é importado de um país terceiro;
  • a autoridade competente avalia a conformidade do produto com os critérios do rótulo ecológico e decide da atribuição do mesmo;
  • o organismo competente celebra um contrato-tipo com o requerente, que incide sobre as condições de atribuição do rótulo.

Os pedidos de atribuição do rótulo ecológico estão sujeitos ao pagamento de uma taxa. A utilização do rótulo está igualmente sujeita ao pagamento de uma taxa anual pelo utilizador.

Qualquer produto ao qual tenha sido atribuído o rótulo ecológico é identificado por um logótipo representando uma margarida, conforme consta do anexo III ao Regulamento.

A Comissão e os Estados-Membros promovem a utilização do rótulo ecológico através da realização de campanhas de sensibilização e de informação e asseguram a coordenação entre o sistema comunitário e os sistemas nacionais existentes.

Contexto

O presente regulamento revoga o Regulamento (CEE) n.º 880/92 do Conselho para melhorar o funcionamento do sistema comunitário de atribuição de rótulos ecológicos.

REFERÊNCIAS

ActoEntrada em vigorPrazo de transposição nos Estados-MembrosJornal Oficial

Regulamento (CE) n.º 1980/2000

24.9.2000

-

JO L 237 de 21.9.2000

ACTOS RELACIONADOS

Decisão2000/728/CE da Comissão, de 10 de Novembro de 2000, que estabelece as taxas aplicáveis aos pedidos e as taxas anuais relativas ao rótulo ecológico europeu [Jornal Oficial L 293 de 22.11.2000].
Esta decisão fixa os montantes máximos e mínimos das taxas e, em determinados casos, as respectivas reduções.
Versão consolidada

Decisão2000/729/CE da Comissão, de 10 de Novembro de 2000, relativa a um contrato-tipo respeitante às condições de utilização do rótulo ecológico europeu [Jornal Oficial L 293 de 22.11.2000].
Esta medida estabelece que o contrato entre o organismo competente e o candidato deve estar conforme ao modelo constante do anexo à presente decisão. A Decisão 93/517/CEE relativa a um contrato-tipo respeitante às condições de utilização do rótulo ecológico comunitário é revogada através da presente medida.

Decisão 2000/730/CE da Comissão, de 10 de Novembro de 2000, que estabelece o Comité do Rótulo Ecológico da União Europeia e o seu regulamento interno [Jornal Oficial L 293 de 22.11.2000].

Decisão 2000/731/CE da Comissão, de 10 de Novembro de 2000, que estabelece o regulamento interno do fórum de consulta do sistema comunitário revisto de atribuição do rótulo ecológico [Jornal Oficial L 293 de 22.11.2000].

Decisões de atribuição do rótulo ecológico

Decisão2009/607/CE da Comissão (revestimentos duros).
Decisão
2009/598/CE da Comissão (colchões de cama).
Decisão
2009/578/CE da Comissão (serviços de alojamento turístico).
Decisão
2009/568/CE da Comissão (produtos de papel tissue).
Decisão
2009/567/CE da Comissão (produtos têxteis).
Decisão
2009/564/CE da Comissão (serviços de parques de campismo).
Decisão
2009/563/CE da Comissão (calçado).
Decisão
2009/544/CE da Comissão (tintas e vernizes para interiores).
Decisão
2009/543/CE da Comissão (tintas e vernizes para exteriores).
Decisão
2009/300/CE da Comissão (televisores).
Decisão 2001/689/CE da Comissão (máquinas de lavar loiça).

Prolongamento: Decisão 2007/457/CE
Versão consolidada
Decisão2002/741/CE da Comissão (papel de cópia e papel para usos gráficos).
Prolongamento: Decisão 2007/457/CE
Versão codificada
Decisão2002/747/CE (lâmpadas eléctricas).
Prolongamento: Decisão 2008/63/CE
Versão consolidada
Decisão2003/31/CE (detergentes para máquinas de lavar loiça).
Prolongamento: Decisão 2008/889/CE
Versão consolidada
Decisão2003/200/CE (detergentes para a roupa).
Prolongamento: Decisão 2008/63/CE
Versão consolidada
Decisão2003/240/CE (máquinas de lavar roupa).
Prolongamento: Decisão 2000/45/CE
Decisão2004/669/CE (frigoríficos).
Prolongamento: Decisão 2007/207/CE
Decisão2005/341/CE (computadores pessoais).
Prolongamento: Decisão 2008/962/CE
Versão codificada
Decisão2005/342/CE (detergentes para lavagem manual de loiça).
Prolongamento: Decisão 2008/889/CE
Versão codificada
Decisão2005/343/CE (computadores portáteis).
Prolongamento: Decisão 2008/962/CE
Versão codificada
Decisão2005/344/CE (produtos de limpeza “lava tudo” e produtos de limpeza para instalações sanitárias).
Prolongamento: Decisão 2008/889/CE
Versão codificada
Decisão2005/360/CE (lubrificantes).
Prolongamento: Decisão 2008/889/CE
Versão codificada
Decisão2006/799/CE (correctivos de solos).
Decisão 2007/64/CE (suportes de cultura
).
Decisão
2007/506/CE (sabonetes, champôs e condicionadores de cabelo).
Decisão
2007/742/CE (bombas de calor eléctricas, a gás ou de absorção a gás).

Última modificação: 02.12.2009
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página