RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 11 idiomas

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Empresa comum Galileo

Arquivos

GALILEO é o programa europeu de radionavegação e de posicionamento por satélite. Lançado pela Comissão Europeia e desenvolvido conjuntamente com a Agência Espacial Europeia, dotará a União Europeia de uma tecnologia independente, perante o GPS americano e o GLONASS russo. O presente regulamento, adoptado em 2002, instituiu uma empresa comum encarregada da gestão da fase de desenvolvimento do programa GALILEO. Foi em seguida modificado no sentido de a empresa Galileo deixar de existir em 31 de Dezembro de 2006: como a fase de desenvolvimento deveria prolongar-se até ao final de 2008, as actividades da empresa comum foram transferidas para a Autoridade Supervisora do GNSS.

ACTO

Regulamento (CE) n.° 876/2002 do Conselho, de 21 de Maio de 2002, que institui a empresa comum Galileo [Jornal Oficial L 138 de 28.5.2002] [Ver Actos Modificativos].

SÍNTESE

Chamando, simultaneamente, a atenção para a necessidade de imprimir um impulso positivo ao sector da indústria e dos serviços e de assegurar a independência europeia numa tecnologia essencial, o programa GALILEO de radionavegação por satélite foi concebido em várias etapas:

  • A fase de definição, permitiu conceber as componentes principais do projecto.
  • A fase de desenvolvimento (que inicialmente deveria decorrer de 2002 a 2005), tem por objectivo verificar e testar as diferentes componentes arquitectónicas do sistema; deverá na realidade prolongar-se para além de 2008.
  • Esta fase será seguida de uma outra, dita de implementação, que consiste no fabrico e lançamento dos satélites e na instalação das estações e dos equipamentos de terra.
  • Por último, a fase operacional.

O presente regulamento da Comissão define os princípios e elementos constitutivos da empresa comum GALILEO. O objectivo consiste em dispor de uma estrutura flexível, dotada de personalidade jurídica, capaz de celebrar os contratos necessários à implantação de um sistema europeu de radionavegação por satélite e que permita a investigação e o desenvolvimento tecnológico. Inicialmente, a sua duração devia cobrir os anos 2002 a 2005, até ao final da fase de desenvolvimento, com eventual prorrogação. Ora, como a fase de desenvolvimento não será concluída antes do final de 2008, a União Europeia considerou inútil prolongar a empresa comum em 2007, estando a Autoridade Supervisora do GNSS, criada em 2004, em condições de levar a bom termo as missões requeridas.

A empresa comum Galileo deixou, pois, de existir em 31 de Dezembro de 2006.

As duas missões principais da empresa comum consistiram no seguinte:

  • Execução da fase de desenvolvimento: para o efeito, a empresa comum delegou na Agência Espacial Europeia, mediante acordo, a aplicação das medidas requeridas durante a fase de desenvolvimento no domínio espacial e terrestre associado.
  • Preparação das fases subsequentes do programa: a empresa comum permitiu mobilizar os fundos públicos e privados necessários e preparar a criação das estruturas de gestão das fases seguintes do programa.

REFERÊNCIAS

ActoEntrada em vigor - Data do termo de vigênciaPrazo de transposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Regulamento (CE) n.° 876/200228.5.2002-JO L 138 de 28.5.2002

Acto(s) modificativo(s)Entrada em vigorPrazo de transposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Regulamento (CE) n.° 1943/200622.12.2006-JO l 367 de 22.12.2006

ACTOS RELACIONADOS

Proposta de Decisão do Conselho sobre a assinatura de um acordo de cooperação relativo a um sistema mundial civil de navegação por satélite (GNSS) - GALILEO entre a Comunidade Europeia e os seus Estados Membros, por um lado, e a República Popular da China, por outro [COM(2003) 578 final - Não publicada no Jornal Oficial].

Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho - Integração do programa EGNOS no programa GALILEO [COM(2003) 123 final - Não publicada no Jornal Oficial].

Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho - Ponto da situação do Programa de investigação GALILEO no início de 2004 [COM(2004) 112 final - Não publicada no Jornal Oficial].
O balanço é efectuado menos de seis meses após a concretização efectiva da empresa comum GALILEO. Na opinião da Comissão, o ano de 2003 foi decisivo para o programa. Foram encomendados os dois primeiros satélites experimentais que devem emitir os seus sinais em 2006, garantindo assim a segurança das frequências atribuídas em Junho de 2003, na Conferência Mundial das Radiocomunicações. A cooperação internacional está em franco desenvolvimento, pois o interesse dos países terceiros aumenta incessantemente. A União Europeia concluiu um acordo com a China em Outubro de 2003 e estão a decorrer negociações com os Estados Unidos da América (acordo em Fevereiro de 2004), Israel (acordo em Março de 2004), a Rússia, o Brasil, a Índia, o Japão, o Canadá e a Coreia do Sul. No que respeita às fases de implantação (implementação em 2006-2007) e de exploração, a partir de 2008 (segundo o calendário definido inicialmente), três consórcios mostraram interesse em investir no programa. A empresa escolhida contribuirá com 1.500 milhões de euros.

Comunicação da Comissão ao Parlamento e ao Conselho, de 24.9.2002 - Evolução do programa GALILEO [COM(2002) 518 final - Não publicada no Jornal Oficial].
Quatro meses após a entrada em vigor do Regulamento (CE) n.° 876/2002, esta comunicação aprecia a aplicação do programa GALILEO (fase de desenvolvimento). A concretização da empresa comum está atrasada devido às dificuldades encontradas no seio da Agência Espacial Europeia em finalizar os contributos de cada Estado-Membro. Será instituído em breve o conselho relativo à segurança. O documento técnico que define a missão GALILEO, e bem assim a gama, os desempenhos e as características técnicas dos serviços associados, foi consolidado, tal como o plano de frequências. A próxima Conferência Mundial das Radiocomunicações (CMR), em Junho/Julho de 2003, sob a tutela das Nações Unidas, deverá confirmar ao GALILEO um acesso ao espectro de frequências suficientemente flexível para a instalação de todos os serviços previstos e a sua compatibilidade com os outros sistemas de radionavegação (GPS americano, GLONASS russo, sistemas chineses). A vocação planetária do GALILEO implica uma cooperação eficaz com o conjunto dos países terceiros.

Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho: "Passagem às fases de implantação e de exploração do programa europeu de radionavegação por satélite" [COM(2004) 636 final - Não publicada no Jornal Oficial].

Última modificação: 02.08.2007
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página