RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 12 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Intercâmbio de informações relativas a raptos terroristas

Esta recomendação destina-se a pôr termo aos raptos terroristas. Para o efeito, o Conselho preconiza a recolha de informações gerais, o estabelecimento de contactos e o início de um debate. A recomendação enumera as informações que os Estados-Membros deverão trocar entre si.

ACTO

Recomendação do Conselho, de 12 de Junho de 2007, sobre o intercâmbio de informações relativas a raptos terroristas.

SÍNTESE

Os raptos perpetrados por grupos terroristas constituem um desafio que os Estados-Membros devem enfrentar. Para os ajudar a pôr termo a tais actos, o Conselho recomenda que procedam ao intercâmbio das informações em seu poder.

A experiência adquirida pelos Estados-Membros confrontados com situações deste tipo devem ser partilhadas, a fim de aumentar as capacidades de cada um. Para o efeito, os Estados-Membros deverão transmitir aos outros uma ficha contendo as informações não classificadas relativas aos casos de rapto. Tais informações dizem apenas respeito aos incidentes relacionados com o terrorismo internacional e só são transmitidas depois de o caso ter sido encerrado.

Intercâmbio das informações

Os Estados-Membros procedem ao intercâmbio das informações relativas ao crime, às vítimas e aos raptores. Os dados pessoais serão transmitidos em conformidade com a legislação nacional.

As informações relativas ao crime são as seguintes: lugar, data e hora do início e do termo do rapto, modo como se processou, objectivo de crime e se se verificou ou não a intervenção de um intermediário.

As informações relativas às vítimas devem incluir: nacionalidade, sexo, motivo pelo qual se encontram no país e conhecimentos linguísticos.

As informações a transmitir relativas aos terroristas são as seguintes: ideologia, grupo responsável, nacionalidade, conhecimentos linguísticos, modo de agir e os meios de comunicação social através dos quais se dirigiram à população.

Os serviços de ligação servem para o intercâmbio de informações sobre actos terroristas a nível da União Europeia. Por último, os Estados-Membros comunicam as informações à Europol e, tendo em conta a quantidade e o tipo de dados comunicados, verificam se é oportuno criar uma base de dados.

Os Estados-Membros elaboram uma lista de todos os raptos verificados após 1 de Janeiro de 2002, bem como uma lista de contactos, tendo em vista facilitar a transmissão de tais dados.

REFERÊNCIAS

ActoEntrada em vigor - Data do termo de vigênciaPrazo de transposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Recomendação 2007/562/CE--JO L 214 de 17.8.2007

ACTOS RELACIONADOS

Decisão 2005/671/JAI do Conselho, de 20 de Setembro de 2005, relativa à troca de informações e à cooperação em matéria de infracções terroristas [Jornal Oficial L 253 de 29 de Setembro de 2005].

Comunicação da Comissão ao Conselho e ao Parlamento Europeu, de 16 de Junho de 2004, relativa ao reforço do acesso à informação por parte dos serviços responsáveis pela aplicação da lei [COM(2004) 429 final - Não publicada no Jornal Oficial].

Última modificação: 25.10.2007
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página