RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Obtenção de provas em matéria civil e comercial

O presente regulamento tem como objetivo melhorar, simplificar e acelerar a cooperação entre os Estados-Membros, com vista à obtenção de provas no âmbito de processos judiciais em matéria civil e comercial.

ATO

Regulamento (CE) n.º 1206/2001 do Conselho, de 28 de maio de 2001, relativo à cooperação entre os tribunais dos Estados-Membros no domínio da obtenção de provas em matéria civil ou comercial.

SÍNTESE

O regulamento facilita a obtenção de provas noutro Estado-Membro. O regulamento é aplicável em matéria civil e comercial sempre que um tribunal de um Estado-Membro requeira:

  • ao tribunal de outro Estado-Membro a obtenção de provas;
  • a obtenção de provas diretamente noutro Estado-Membro.

O pedido deve visar a obtenção de provas destinadas a ser utilizadas num processo judicial já iniciado ou previsto.

A Dinamarca não participa no regulamento.

Transmissão direta entre tribunais

Os Estados-Membros devem elaborar uma lista dos tribunais competentes para a obtenção de provas e indicar o âmbito de competência territorial e/ou especial. Os pedidos devem ser transmitidos diretamente pelo tribunal onde o processo tenha sido iniciado ou esteja previsto («tribunal requerente») ao tribunal do Estado-Membro que deve proceder à obtenção de provas («tribunal requerido»).

Cada Estado-Membro designa uma entidade central encarregada de:

  • fornecer informações aos tribunais;
  • resolver eventuais problemas de transmissão;
  • remeter, em casos excecionais, pedidos estrangeiros aos tribunais competentes.

Forma e conteúdo do pedido

O pedido deve ser apresentado através de formulários-tipo previstos pelo regulamento e conter obrigatoriamente os seguintes dados: nome e endereço das partes, natureza e objeto da ação, uma descrição da obtenção de provas a apresentar, etc.

O regulamento determina que o pedido deve ser redigido na língua oficial do tribunal requerido ou noutra língua que o Estado-Membro requerido tenha indicado poder aceitar.

Execução

O pedido deve ser executado em conformidade com o direito nacional do Estado-Membro requerido, o mais tardar no prazo de 90 dias a contar da sua receção.

A execução de um pedido só pode ser recusada nos seguintes casos:

  • se o pedido não estiver abrangido pelo âmbito de aplicação do regulamento (se, por exemplo, disser respeito a um processo penal e não a um processo civil ou comercial);
  • se a execução do pedido não fizer parte das atribuições do poder judicial;
  • se o pedido não estiver completo;
  • se a pessoa requerida para fazer um depoimento invocar o direito de se recusar a depor ou indicar estar proibida de depor;
  • se não tiver sido efetuado um depósito ou avanço das despesas associadas ao recurso a um perito.

Se a execução do pedido for recusada, o tribunal requerido deve notificar do facto o tribunal requerente no prazo de 60 dias a contar da receção do pedido.

Se tal estiver previsto na lei do Estado-Membro do tribunal requerente, os representantes deste último podem estar presentes no ato de obtenção de provas pelo tribunal requerido. Tal aplica-se igualmente às partes e, se for caso disso, aos seus representantes.

O regulamento não impede que dois ou mais Estados-Membros mantenham ou celebrem acordos destinados a acelerar ou simplificar a execução de pedidos de atos judiciais.

REFERÊNCIAS

AtoEntrada em vigorPrazo de transposição nos Estados-MembrosJornal Oficial

Regulamento (CE) n.º 1206/2001

1.7.2001

-

JO L 174, 27.6.2001

ATOS RELACIONADOS

Relatório da Comissão de 5 de dezembro de 2007 ao Conselho, ao Parlamento Europeu e ao Comité Económico e Social Europeu sobre a aplicação do Regulamento (CE) n.º 1206/2001 do Conselho, de 28 de maio de 2001, relativo à cooperação entre os tribunais dos Estados-Membros no domínio da obtenção de provas em matéria civil ou comercial [COM(2007) 769 final - não publicado no Jornal Oficial].
A Comissão considera que os dois objetivos principais do regulamento (simplificar a cooperação entre os Estados-Membros e acelerar a obtenção das provas) foram alcançados de modo satisfatório. Todavia, deverão ser tomadas certas medidas a fim de melhorar o funcionamento do regulamento, nomeadamente:

  • melhorar o nível de conhecimento do regulamento junto das profissões jurídicas;
  • tomar as medidas necessárias para que o prazo de 90 dias previsto para a execução dos pedidos seja respeitado;
  • explorar melhor as possibilidades oferecidas pelas novas tecnologias, nomeadamente a videoconferência.
Última modificação: 22.12.2011

Veja também

  • Sítio Web da Direção-Geral da Justiça – Obtenção de provas (EN)
  • Atlas Judiciário Europeu - obtenção de provas
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página