RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


EUROPASS – Ao serviço da mobilidade dos cidadãos

O Europass é um dossier único que se destina a ajudar os cidadãos a demonstrarem clara e facilmente as suas qualificações e as suas competências em toda a Europa. O Europass reúne cinco documentos elaborados a nível europeu para melhorar a transparência das qualificações. O seu objectivo é facilitar a mobilidade de todos os que querem formar-se ou trabalhar nos quatro cantos da Europa.

ACTO

Decisão n.° 2241/2004/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de Dezembro de 2004, que institui um quadro comunitário único para a transparência das qualificações e competências (Europass).

SÍNTESE

O Europass é um dos três principais instrumentos da União Europeia (UE) de apoio à mobilidade. Este dossier de cinco documentos ajuda os cidadãos a demonstrarem clara e facilmente as suas qualificações e as suas competências nos Estados-Membros da UE, nos países candidatos (Bulgária, Croácia, Roménia e Turquia) bem como na Islândia, no Listenstaine, na Noruega e na Suíça. Vem assim juntar-se ao sítio Internet Ploteus, lançado em 2002 e que contém informações sobre as possibilidades de educação e de formação profissional em todo o espaço europeu, bem como ao quadro europeu de qualificação profissional, em vias de implementação.

O Europass inclui os seguintes elementos:

Europass - Curriculum vitae (Europass-CV)

Trata-se da versão melhorada do CV europeu criado pela Comissão em 2002. O modelo CV Europass, elemento central do dossier, foi concebido para destacar as competências dos cidadãos.

Europass – Mobilidade

Ao utilizar um modelo comum europeu, o Europass – Mobilidade destina-se a registar todos os períodos de mobilidade transnacional para efeitos de aprendizagem, seja a que nível for: estágio numa empresa, semestre de estudos numa universidade ou qualquer outra experiência de formação. Substitui, com um campo de aplicação muito mais alargado, o Europass-Formação.

Europass – Suplemento ao diploma

O suplemento ao diploma contém informações sobre o percurso do seu titular no ensino superior. Descreve a natureza, o nível, o contexto, o conteúdo e o estatuto dos estudos efectuados com êxito pelo cidadão. Todavia, não substitui o diploma original. Desenvolvido conjuntamente com o Conselho da Europa e a UNESCO, é preenchido pelo estabelecimento que o emite ao mesmo tempo que o diploma.

O suplemento ao diploma compõe-se de oito secções que informam sobre o titular do diploma, o diploma, o nível de qualificação, os conteúdos e os resultados obtidos, a função da qualificação, a certificação do suplemento e o sistema nacional de ensino superior.

Europass – Suplemento ao certificado

O suplemento ao certificado clarifica as qualificações profissionais de qualquer pessoa que possui o certificado de ensino ou de formação profissional ao qual o mesmo se refere. Para esse efeito, fornece informações sobre as competências adquiridas, a gama de actividades profissionais acessíveis, os organismos de emissão e acreditação, o nível do certificado, bem como os requisitos de ingresso e as possibilidades de acesso ao nível de ensino seguinte. Não substitui o certificado original e não constitui um sistema automático de reconhecimento. É emitido pelas autoridades nacionais competentes.

Europass – Carteira europeia de línguas

A carteira de línguas permite aos cidadãos apresentar as competências linguísticas e culturais que adquiriram. Contém o Europass-Passaporte de Línguas, que especifica as capacidades linguísticas do titular, de acordo com critérios comuns aceites em toda a Europa e as suas experiências em cada língua, bem como um dossier com trabalhos pessoais que permita ilustrar as competências linguísticas alcançadas.

A iniciativa Europass é apoiada por um portal Internet gerido a nível comunitário. Este sítio permite aos cidadãos preencherem o respectivo Europass-CV e os respectivos passaportes de línguas, e informarem-se sobre os outros documentos Europass.

Está previsto um co-financiamento para a criação de uma rede de Centros Nacionais Europass (CNE) responsáveis pela execução, ao nível nacional, em especial no que respeita às tarefas de coordenação e de promoção.

A Comissão deve apresentar ao Parlamento Europeu um relatório de avaliação sobre a execução da decisão em questão, de quatro em quatro anos, desde 1 Janeiro de 2008.

Para as descrições dos modelos comuns dos documentos Europass queira consultar o anexo da referida decisão.

A decisão salienta a importância de garantir a congruência e complementaridade com os outros instrumentos que incentivam a mobilidade a nível europeu e internacional, designadamente:

  • A rede de serviços europeus de emprego (EURES);
  • A Rede Europeia dos Centros Nacionais de Informação sobre o Reconhecimento Académico (ENIC-NARIC), estabelecida pelo Conselho da Europa e pela Unesco.

REFERÊNCIAS

ActoEntrada em vigorTransposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Decisão (CE) n.° 2241/2004

1.1.2005

-

JO L 390 de 21.12.2004.

ACTOS RELACIONADOS

Relatório da Comissão ao Parlamento Europeu e ao Conselho, de 4 de Julho de 2008, sobre a primeira avaliação da iniciativa Europass [COM(2008) 427 final – Não publicada no Jornal Oficial].
Este Relatório apresenta as principais conclusões e recomendações da primeira avaliação externa da iniciativa Europass, bem como as conclusões da Comissão para as acções de acompanhamento. A avaliação considera que a iniciativa constitui um instrumento de mobilidade eficaz, fornecendo aos cidadãos os meios necessários para atestar as suas competências e qualificações de uma forma clara, tanto nos contextos de aprendizagem como no mercado de trabalho. A rede de Centros Nacionais Europeus (CNE) e o portal na Internet, apreciados pelas partes interessadas e pelos utilizadores, são considerados instrumentos de aplicação rentáveis. No entanto, a avaliação considera que a iniciativa pode ser mais amplamente explorada. A fim de melhorar a relevância e a eficácia da iniciativa, a avaliação recomenda:

  • uma melhor abordagem da mobilidade ocupacional através de instrumentos de aplicação optimizados;
  • a utilização de indicadores específicos para melhorar os relatórios de actividades dos CNE;
  • maior divulgação da iniciativa junto dos aprendentes e empregadores;
  • o aperfeiçoamento do CV, em especial o modelo e as orientações;
  • melhor incorporação do Suplemento ao Diploma e do Suplemento ao Certificado no quadro Europass;
  • a intensificação da cooperação com os serviços de orientação e de emprego, a fim de reforçar o impacto da iniciativa entre os utilizadores menos qualificados e desempregados.

Em resposta à avaliação, a Comissão pretende:

  • continuar a cooperar com as instituições relevantes para promover a iniciativa entre os cidadãos menos qualificados e desempregados;
  • continuar a promover a utilização do Europass-Mobilidade em acções de mobilidade nacionais e regionais;
  • incorporar a emissão do Europass-Mobilidade no programa Aprendizagem ao Longo da Vida;
  • assegurar uma melhor coordenação da gestão do Europass-Suplemento ao Diploma e do Europass-Suplemento ao Certificado;
  • aperfeiçoar o Europass-Diploma, tendo em vista um registo mais adequado dos resultados de aprendizagem dos titulares;
  • ligar a iniciativa Europass à aplicação do Quadro Europeu de Qualificações (QEQ).
Última modificação: 05.08.2008
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página