RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Vias de recurso: sectores da água, da energia, dos transportes e dos serviços postais

Um sistema comunitário de recursos relativos aos processos de adjudicação de contratos nos sectores da água, da energia, dos transportes e dos serviços postais permite às partes lesadas proteger os seus interesses.

ACTO

Directiva 92/13/CEE do Conselho, de 25 de Fevereiro de 1992, relativa à coordenação das disposições legislativas, regulamentares e administrativas respeitantes à aplicação das regras comunitárias em matéria de procedimentos de celebração de contratos de direito público pelas entidades que operam nos sectores da água, da energia, dos transportes e das telecomunicações [Ver actos modificativos].

SÍNTESE

A presente directiva visa garantir a aplicação efectiva das disposições da Directiva 2004/17/CE que coordena os processos de celebração de contratos nos sectores da água, da energia, dos transportes e dos serviços postais.

As disposições da directiva contêm quatro elementos principais:

  • a adaptação aos sectores da água, da energia, dos transportes e dos serviços postais (sectores considerados “especiais”) dos meios de recurso previstos pela Directiva 89/665/CEE no que diz respeito aos meios de recurso nacionais referentes aos contratos públicos de fornecimentos, de empreitadas de obras e de serviços adjudicados pelas entidades adjudicantes;
  • um processo de certificação;
  • um mecanismo de correcção que reforça os meios de acção da Comissão em casos de clara e manifesta infracção.

A directiva permite que os Estados-Membros escolham entre duas opções no que diz respeito a determinados meios de recurso. Podem tomar medidas que permitam:

  • intervir directamente nos procedimentos de adjudicação de contratos, podendo suspender os procedimentos e anular as decisões ilegais;
  • exercer influência indirecta sobre as entidades adjudicantes, impondo, nomeadamente, uma sanção pecuniária.

O objectivo é, em ambos os casos, assegurar a correcção das violações do direito e proteger os interesses em causa. Independentemente da opção escolhida, a directiva prevê a possibilidade de obtenção de indemnizações por perdas e danos.

Recurso

A directiva prevê que, caso um contrato seja adjudicado em violação dos procedimentos, qualquer pessoa lesada ou que corra o risco de sofrer um prejuízo pode apresentar um recurso eficaz contra a decisão da entidade adjudicadora. Para este fim, são fixados os seguintes prazos:

  • um prazo mínimo de quinze dias (ou dez dias, se for utilizado um meio electrónico) entre a adjudicação do contrato e a celebração do contrato;
  • um prazo máximo de quinze dias (ou dez dias, se for utilizado um meio electrónico) entre a decisão da entidade adjudicadora e a apresentação do recurso (a imposição deste prazo fica, contudo, ao critério do Estado-Membro);
  • um prazo de trinta dias entre a decisão de adjudicação do contrato e a anulação dessa decisão;
  • um prazo máximo de seis meses entre a celebração do contrato e a anulação da decisão de adjudicação do contrato.

Certificação

A entidade adjudicadora pode adjudicar o contrato sem publicação prévia de anúncio no Jornal Oficial da União Europeia. Deve, no entanto, tornar pública a sua intenção de celebrar o contrato.

A Comissão Europeia é assistida pelo Comité Consultivo para os Contratos Públicos.

Mecanismo de correcção

Se a Comissão considerar que foi cometida uma violação clara e manifesta das disposições comunitárias durante um processo de adjudicação de um contrato, pode exigir ao Estado-Membro em questão a sua correcção, invocando o recurso e a ausência de efeitos de um contrato antes da sua celebração.

REFERÊNCIAS

Acto Entrada em vigor Prazo de transposição nos Estados-Membros Jornal Oficial
Directiva 92/13/CEE

1.1.1993
30.6.1995 (Espanha)
30.6.1997 (Grécia e Portugal)

1.1.1993
30.6.1995 (Espanha)
30.6.1997 (Grécia e Portugal)

JO L 76 de 23.3.1992
Acto(s) modificativo(s) Entrada em vigor Prazo de transposição nos Estados-Membros Jornal Oficial
ACTO relativo às condições de adesão do Reino da Noruega, da República da Áustria, da República da Finlândia e do Reino da Suécia e às adaptações dos Tratados em que se funda a União Europeia 1.1.1995 - JO C 241 de 29.8.1994
Directiva 2006/97/CE do Conselho 20.11.2006 1.1.2007 JO L 363 de 20.12.2006
Directiva 2007/66/CE 9.1.2008 20.12.2009 JO L 335 de 20.12.2007

As sucessivas alterações e correcções da Directiva 92/13/CEE foram integradas no texto de base. Esta versão consolidada tem apenas valor documental.

ACTOS RELACIONADOS

Directiva 93/38/CEE do Conselho, de 14 de Junho de 1993, relativa à coordenação dos processos de celebração de contratos nos sectores da água, da energia, dos transportes e das telecomunicações [JO L 199 de 9.8.1993].

Última modificação: 01.07.2011
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página