RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Fundação Europeia para a Formação (ETF)

A Fundação Europeia para a Formação (ETF) opera no contexto das políticas externas da União Europeia (UE), com o objectivo de ajudar países terceiros a melhorar o desenvolvimento do capital humano. Desta forma, procura incentivar o acesso à aprendizagem ao longo da vida e o desenvolvimento de capacidades e competências.

ACTO

Regulamento (CE) n.º 1339/2008 do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de Dezembro de 2008 que institui uma Fundação Europeia para a Formação.

SÍNTESE

O presente regulamento institui a Fundação Europeia para a Formação (ETF), revogando o Regulamento (CEE) n.º 1360/90, que originalmente a criou. A fundação opera na esfera das políticas externas da União Europeia (UE), tendo como objectivo promover o desenvolvimento dos sistemas de educação e formação profissional nos seguintes países parceiros:

  • os países candidatos à UE (Croácia, Turquia e a antiga República Jugoslava da Macedónia);
  • os países potenciais candidatos dos Balcãs Ocidentais (Albânia, Bósnia-Herzegovina, Kosovo, Montenegro e Sérvia);
  • os países parceiros do Mediterrâneo meridional, da Europa de leste e do Cáucaso meridional (Argélia, Arménia, a Autoridade Palestiniana, Azerbaijão, Bielorrússia, Egipto, Geórgia, Israel, Jordânia, Líbano, Marrocos, Moldávia, Rússia, Síria, Tunísia e Ucrânia);
  • outros países, conforme decisão do Conselho Directivo da ETF com base em critérios específicos.

A fundação presta assistência a estes países na melhoria das capacidades e competências dos respectivos cidadãos. Essa assistência consiste em participar no processo de reforma para desenvolver a educação e formação profissional iniciais e contínuas, bem como para facilitar o acesso às mesmas. A ETF apoia também na promoção da mobilidade, na cooperação entre instituições de ensino e empresas, bem como na troca de experiências e informações entre os Estados-Membros.

Para a promoção do desenvolvimento de sistemas de educação e formação profissional nos países parceiros, as funções da fundação consistem, mais especificamente, em:

  • fornecer informações, análises estratégicas e assessoria em matéria de desenvolvimento do capital humano;
  • melhorar o conhecimento das necessidades de competências no mercado do trabalho;
  • apoiar no reforço das capacidades;
  • promover o intercâmbio de informações e experiências entre doadores e entre os países parceiros e a UE;
  • apoiar a concretização da assistência comunitária e analisar a eficácia da mesma (se exigido pela Comissão).

No exercício das suas funções, a fundação deverá colaborar com outros organismos comunitários competentes, em especial com o Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional (Cedefop), bem como com representantes de parceiros sociais europeus e organizações internacionais relevantes, quando apropriado.

A ETF é uma fundação sem fins lucrativos com personalidade jurídica. Tem sede em Turim, Itália.

Estrutura

O Conselho Directivo da ETF é composto por um representante de cada Estado-Membro, três representantes da Comissão, três peritos nomeados pelo Parlamento Europeu e três representantes dos países parceiros nomeados pela Comissão. Apenas os representantes dos Estados-Membros e da Comissão têm direito de voto, um voto cada para os primeiros e um voto partilhado para os segundos. Um dos representantes da Comissão preside ao conselho, convocando-o pelo menos uma vez por ano. O mandato do conselho tem a duração de cinco anos, renovável uma vez.

O Conselho Directivo é responsável por elaborar um mapa previsional anual das despesas e receitas, bem como por aprovar o programa de trabalho anual, o projecto de quadro de pessoal, o orçamento definitivo, o relatório anual de actividades, o regulamento interno e a regulamentação financeira. Tem poder para nomear e exonerar o director, bem como para prolongar o mandato do mesmo.

O director é nomeado a partir de uma lista de candidatos apresentada pela Comissão para um mandato de cinco anos. O mandato pode ser prolongado uma vez pelo máximo de três anos. O director é o representante legal da fundação e é responsável pela gestão administrativa. É igualmente responsável pela preparação e organização dos trabalhos do Conselho Directivo, bem como pela aplicação das suas decisões. Além disso, o director deverá executar o programa de trabalho anual e o orçamento da fundação.

As receitas da ETF incluem, principalmente, uma subvenção inscrita no orçamento geral da UE e pagamentos recebidos por serviços prestados. As contas definitivas da fundação, os relatórios anuais de actividades e o regulamento interno são publicados.

Contexto

Desde a sua adopção, o Regulamento (CEE) n.º 1360/90 que instituiu a ETF foi alterado em várias ocasiões. Considerando as alterações adicionais e por razões de clareza, o regulamento foi revogado e substituído pelo Regulamento (CE) n.º 1339/2008.

REFERÊNCIAS

Acto Entrada em vigor Prazo de transposição nos Estados-Membros Jornal Oficial
Regulamento (CE) n.º 1339/2008

20.1.2009

-

JO L 354 de 31.12.2008

Última modificação: 06.05.2009

Veja também

  • Para obter mais informações, visite o sítio Web da Fundação Europeia para a Formação (DE) (EN) (FR)
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página