RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Iniciativa Europeia em matéria de Transparência (IET)

A presente Comunicação constitui um seguimento do Livro Verde “Iniciativa Europeia em matéria de Transparência” (IET) e subsequente consulta pública. Aborda as questões relacionadas com grupos de interesse, normas de consulta e publicação dos beneficiários de fundos comunitários.

ACTO

Comunicação da Comissão, de 21 de Março de 2007 – Seguimento do Livro Verde “Iniciativa Europeia em matéria de Transparência”’ [COM(2007) 127 final – Não publicada no Jornal Oficial].

SÍNTESE

Esta Comunicação vem no seguimento do Livro Verde, de 3 de Maio de 2006, sobre a “Iniciativa Europeia em matéria de Transparência ” (IET). Responde aos argumentos invocados pelos participantes na consulta (os resultados encontram-se no documento de trabalho da Comissão SEC(2007) 360) e apresenta as medidas que a Comissão tenciona adoptar.

Grupos de interesse * (lobbying)

Os participantes na consulta criticaram a conotação negativa que o termo “lobbying” comporta. No entanto, a Comissão sublinha que a definição não comporta qualquer juízo de valor negativo e que as actividades dos representantes dos grupos de interesses são imperativas do ponto de vista democrático. Não obstante, o registo proposto no Livro Verde será designado “Registo de Membros de Grupos de Interesse”.

A criação deste registo com carácter voluntário recebeu muitas opiniões favoráveis. Porém, muitos consideraram que um sistema obrigatório seria a única forma de garantir a transparência total. De qualquer modo, a Comissão continuará a prosseguir uma abordagem voluntária e baseada em incentivos com vista a cobrir os grupos de interesses europeus de forma mais exaustiva. Para reforçar o incentivo ao registo, a Comissão combinará o registo com um modelo-tipo para as consultas na Internet. Os que participarem numa consulta serão sistematicamente convidados a efectuar o registo, tendo de declarar os interesses que representam, a sua missão e de que modo são financiados.

O Livro Verde apontou para a necessidade de os membros de grupos de interesse* (lobbyists) subscreverem um código de conduta. Todavia, a consulta não abordou detalhadamente o desenvolvimento ou o controlo do referido código, tendo-se considerado que o seu desenvolvimento competiria aos membros de grupos de interesse. Porém, os participantes na consulta concluíram que, na prática, esse objectivo seria de difícil concretização. Neste contexto, a Comissão optou por rever e actualizar os requisitos mínimos adoptados em 1992.

Muitos dos participantes na consulta manifestaram-se favoráveis à abordagem interinstitucional através da qual, pelo menos, a Comissão e o Parlamento Europeu, disporiam de um registo e código de conduta comuns. A Comissão partilha igualmente desta opção e acredita que constituirá um incentivo adicional ao registo. Por conseguinte, a Comissão convida as outras instituições a estudarem esta possibilidade de uma forma mais cuidadosa.

O debate sobre o código de conduta terá início antes do Verão de 2007, enquanto o registo de membros de grupos de interesse será lançado na Primavera de 2008. Na Primavera de 2009, a Comissão analisará o funcionamento deste registo.

Normas de consulta

Os participantes na consulta acolheram de forma muito positiva as normas de consulta da Comissão. No entanto, foram indicados certos pontos fracos, como o feedback fornecido sobre o impacto e o cumprimento do prazo mínimo de 8 semanas para as consultas, assim como o equilíbrio das consultas específicas entre as partes interessadas. Com vista a melhorar a qualidade das consultas, a Comissão tem planos para reforçar a aplicação das normas de consulta por via de uma abordagem coordenada, o que garante uma pluralidade de pontos de vista manifestados, e do fornecimento de feedback.

Publicação dos beneficiários de fundos comunitários

No seguimento da publicação do Livro Verde, a Comissão deu início a debates sobre a publicação de informações sobre os beneficiários de fundos comunitários com os Estados-Membros, o Parlamento Europeu e um vasto leque de partes interessadas, que resultaram num consenso quanto à publicação dos dados em questão. Consequentemente, este requisito foi incluído no Regulamento Financeiro.

Além das alterações legislativas, é necessário dar alguns passos de carácter prático. Os participantes na consulta manifestaram o seu interesse numa base de dados consultável, centralizada e gerida pela Comissão, que contenha informações acerca dos beneficiários dos fundos. Todavia, a recolha e a publicação dos referidos dados continuam a ser da responsabilidade dos organismos de execução dos Estados-Membros. Para se iniciar a publicação dos dados em questão a partir de 2008, será necessário tomar as seguintes medidas em colaboração com a Autoridade Europeia para a Protecção de Dados:

  • publicação dos dados na sua forma actual, pelos Estados-Membros por via do acesso público aos dados através, por exemplo, de Web sites nacionais, e pela Comissão por via da criação de um Web site central com ligações aos Web sites nacionais e ao Web site dedicado aos fundos comunitários;
  • garantir a comparabilidade e a possibilidade de procura de dados, por parte da Comissão, através da apresentação de uma norma comum para a publicação de dados (a propor no Outono de 2007).
Palavras-chave do acto
  • Grupos de interesse (lobbying): todas as actividades realizadas com o objectivo de influenciar a formulação das políticas e os processos de tomada de decisões das instituições europeias.
  • Membros de grupos de interesse (lobbyists): pessoas que representam grupos de interesse e trabalham em organizações como empresas especializadas em assuntos de interesse público, escritórios de advogados, ONGs, grupos de reflexão ou associações comerciais.

ACTOS RELACIONADOS

Acordo entre o Parlamento Europeu e a Comissão Europeia sobre a criação de um registo de transparência para organizações e trabalhadores independentes que participem na tomada de decisões e na execução de políticas da UE [JO L 191 de 22.7.2011].

Comunicação da Comissão, de 27 de Maio de 2008 – Iniciativa Europeia em matéria de Transparência – Um quadro para as relações com os membros de grupos de interesse (Registo e Código de Conduta) [COM(2008) 323 final – Não publicada no Jornal Oficial].

Última modificação: 17.09.2008

Veja também

Para obter mais informações, visite os seguintes Web sites:

Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página