RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 11 idiomas

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Para uma utilização óptima do dividendo digital

A passagem às tecnologias digitais vai libertar uma grande parte do espectro radioeléctrico *, denominada dividendo digital. É essencial uma abordagem coordenada a nível comunitário no que respeita à atribuição destas radiofrequências para tirar proveito das numerosas vantagens económicas e sociais do dividendo digital.

ACTO

Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu, ao Conselho, ao Comité Económico e Social Europeu e ao Comité das Regiões, de 13 de Novembro de 2007 - Tirar o máximo partido do dividendo digital na Europa: abordagem comum para o aproveitamento do espectro libertado com a transição para o digital [COM(2007) 700 final - Não publicado no Jornal Oficial].

SÍNTESE

A passagem da televisão analógica à televisão digital ( (ES) (DE) (EN) (FR))até 2012, apesar de alguns Estado--Membros preverem tal passagem para uma data posterior, vai libertar um conjunto de radiofrequências com uma dimensão sem precedentes. Este conjunto de frequências libertadas é conhecido como o «dividendo digital».

É necessário prever e maximizar o impacto económico e social do dividendo digital. O valor total dos serviços de comunicações electrónicas que dependem da utilização do espectro ultrapassa 250 mil milhões de euros por ano na União Europeia (UE). A implantação de serviços inovadores com recurso ao dividendo poderá contribuir de forma não negligenciável para os objectivos de competitividade e crescimento económico da estratégia de Lisboa.

O dividendo digital poderá ainda responder a uma série de necessidades dos cidadãos europeus nos domínios social e cultural, permitindo, por exemplo, combater eficazmente a clivagem digital.

Assim, a Comissão propõe que se avance com um plano comum para o espectro radioeléctrico a nível comunitário a fim de assegurar a exploração óptima do dividendo digital.

Fragmentação do dividendo digital

Todas as actuais aplicações sem fios cuja procura está em crescimento rápido, como as comunicações sem fios de elevado débito ou a televisão móvel, poderão beneficiar com o dividendo digital.

No entanto, as actuais políticas nacionais em matéria de espectro radioeléctrico não favorecem um acesso ao espectro coordenado entre os Estados-Membros. Segundo o parecer emitido pelo grupo para a política do espectro radioeléctrico ( (ES) (DE) (EN) (FR)), várias utilizações possíveis do dividendo não se concretizarão se não houver uma coordenação suficiente no acesso ao espectro.

O dividendo digital está actualmente disperso em faixas relativamente estreitas repartidas por um grande número de frequências, o que resulta da repartição do espectro prevista pela Conferência Regional das Radiocomunicações da União Internacional das Telecomunicações (UIT) (EN) (FR) (ES). Até à extinção da televisão analógica, o dividendo digital coexiste com as frequências por esta utilizadas. Assim, é indispensável tornar os segmentos de frequências do dividendo mais facilmente utilizáveis pelo conjunto dos Estados-Membros.

Planificação adequada do espectro

A Comissão deseja reforçar a dimensão comunitária da planificação do espectro no que respeita ao dividendo digital, reservando e coordenando segmentos de frequências comuns a nível comunitário.

Os Estados-Membros são convidados a cooperar para favorecer um acesso coerente e flexível ao dividendo digital, a fim de facilitar a introdução de novos serviços.

A passagem ao digital vem acompanhada de especificidades próprias da situação do espectro em cada um dos Estados-Membros (obrigações de serviço público, diferenças de calendário, etc.). O plano comum para a gestão do espectro a nível comunitário deve avançar de forma gradual e suficientemente flexível para tomar em conta essas particularidades nacionais.

Antes de determinar o instrumento jurídico mais adequado para efectuar este agrupamento harmonizado dos segmentos de frequências, a Comissão propõe-se efectuar trabalhos preparatórios sobre diversas questões económicas, comerciais e técnicas.

Contexto

A gestão do dividendo digital responde aos objectivos da initiativa i2010, que, por sua vez, se inscreve na estratégia renovada de Lisboa, que considera as tecnologias da informação e das comunicações (TIC) essenciais para o crescimento e o emprego.

Palavras-chave do acto
  • Espectro de frequências radioeléctricas: o espectro radioeléctrico é apenas uma parte relativamente pequena do espectro electromagnético, que vai de 3 Hz a 300 GHz. Em função da gama de frequências, o espectro radioeléctrico divide-se em faixas e subfaixas de frequências. Estas ondas permitem, por exemplo, a transmissão de comunicações móveis e de comunicações fixas sem fios.
Última modificação: 18.02.2008
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página