RSS
Índice remissivo

Glossário

Cidadania da União

A cidadania europeia foi instituída pelo Tratado da União Europeia (TUE), assinado em Maastricht em 1992. O Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia (TFUE) reafirmou os direitos inerentes à cidadania da UE.

É cidadão da União qualquer pessoa que tenha a nacionalidade de um Estado-Membro, tendo portanto:

  • o direito de circular e permanecer em todo o território da União;
  • o direito de eleger e ser eleito nas eleições municipais e nas eleições para o Parlamento Europeu no Estado-Membro de residência;
  • o direito de protecção no exterior da UE por parte das autoridades diplomáticas e consulares de qualquer Estado-Membro se o Estado de que a pessoa é nacional não se encontrar representado;
  • o direito de petição ao Parlamento Europeu e de recurso ao Provedor de Justiça Europeu;
  • o direito de se dirigir às instituições europeias numa das línguas oficiais e de obter uma resposta na mesma língua;
  • o direito de não discriminação em razão da nacionalidade, do sexo, da raça, da religião, de uma deficiência, da idade ou da orientação sexual;
  • o direito de solicitar à Comissão que apresente uma proposta legislativa (iniciativa de cidadania);
  • o direito de acesso aos documentos das instituições, órgãos e organismos europeus, sob reserva da fixação de certas condições (artigo 15.º do TFUE).

Após consentimento do Parlamento Europeu, o Conselho poderá acrescentar, no futuro, outros direitos, através de uma deliberação por unanimidade.

O conceito de cidadania da União é complementar da cidadania nacional e não a substitui. Esta complementaridade torna mais tangível o sentimento de identificação do cidadão com a União.

Ver:

 

Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página