RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Regulamentação do comércio de armas

A União Europeia pretende contribuir para a melhoria da regulamentação sobre o comércio de armas a nível mundial. Tem como objectivo participar na elaboração de um Tratado sobre o Comércio de Armas, bem como melhorar os sistemas de controlo deste tipo de comércio.

ACTO

Decisão 2010/336/PESC do Conselho, de 14 de Junho de 2010, relativa às actividades de apoio ao Tratado sobre o Comércio de Armas, desenvolvidas pela UE no quadro da Estratégia Europeia de Segurança [Jornal Oficial L 152 de 18.6.2010].

SÍNTESE

Esta decisão apresenta o projecto elaborado pela União Europeia (UE) com vista à melhoria da regulamentação do comércio de armas. O projecto deve permitir um maior controlo da importação, exportação e transferência de armas convencionais a nível mundial.

O projecto tem dois objectivos:

  • contribuir para os trabalhos preparatórios destinados a elaborar um Tratado sobre o Comércio de Armas dentro da ONU (EN) (ES) (FR);
  • melhorar os sistemas de controlo do comércio de armas entre os países membros da ONU.

O projecto apresentado pelo Conselho consiste na organização de seminários internacionais, que reunirão representantes políticos e peritos no domínio do comércio de armas e permitirão um intercâmbio de pontos de vista e a elaboração de propostas concretas.

Seminários internacionais

Os seminários serão organizados em diversas regiões do mundo e decorrerão ao longo de vários dias, contando com vários tipos de participantes:

  • representes diplomáticos, militares e do domínio da defesa dos países participantes;
  • representantes da ONU;
  • representantes de organizações internacionais e de organizações não governamentais;
  • técnicos e pessoal dos serviços responsáveis pela aplicação da lei especializados no comércio de armas (autoridades de controlo nas fronteiras; peritos nacionais e internacionais; representantes da indústria).

A organização dos seminários será confiada ao Instituto das Nações Unidas para a Investigação sobre o Desarmamento (UNIDIR (EN) (FR)), que desempenhará as suas funções sob a responsabilidade do Alto Representante da UE para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança. O Alto Representante informará regularmente o Conselho acerca da execução da presente decisão. Para além disso, o orçamento destinado à execução desta decisão ascende a 1 520 000 de euros.

Tratado sobre o Comércio de Armas

Os seminários terão como objectivo preparar a elaboração de um Tratado sobre o Comércio de Armas a nível internacional. Este tratado encontra-se em elaboração no seio da ONU. Terá um efeito jurídico vinculativo para os países signatários e estabelecerá, nomeadamente, normas internacionais para a importação, exportação e transferência de armas.

Os seminários organizados pela UE terão, então, como objectivo fazer avançar as negociações entre os países que desejam participar no tratado. Estes seminários permitirão, nomeadamente, determinar a situação internacional em termos de comércio de armas. Terão como objectivo promover a participação do maior número possível de países membros da ONU, permitindo igualmente formular propostas concretas sobre o conteúdo do futuro Tratado sobre o Comércio de Armas.

Controlos do comércio de armas a nível mundial

Os seminários organizados pela UE deverão visar um segundo objectivo: contribuir para a criação de sistemas de controlo eficazes e coerentes entre os países participantes.

Os seminários deverão, portanto:

  • apoiar a criação e aplicação de sistemas de licenciamento para o comércio de armas;
  • melhorar o controlo nas fronteiras e a fiscalização das transferências de armas;
  • aumentar a transparência do comércio de armas graças à implementação de um Registo de Armas Convencionais da ONU;
  • apoiar os esforços nacionais no sentido de marcar e rastrear as armas ligeiras e de pequeno calibre.

REFERÊNCIAS

ActoEntrada em vigorPrazo de transposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Decisão 2010/336/PESC

14.6.2010

-

JO L 152 de 18.6.2010

Última modificação: 23.10.2010
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página