RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 14 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Estratégia e programa indicativo regional euro-mediterrânico 2007-2013

O documento de estratégia regional para a região mediterrânica define os objectivos e os programas de acção concretos para a cooperação da União Europeia (UE) com os países parceiros mediterrânicos. O documento de estratégia regional (DER) e o programa indicativo regional (PIR) para o período 2007-2013 apresentam as modalidades de execução.

ACTO

Instrumento Europeu de Vizinhança e Parceria (IEVP) – Documento de estratégia regional (2007-2013) e Programa indicativo regional (2007-2013) para a parceria euro–mediterrânica (DE ) (EN ) (FR ).

SÍNTESE

O documento de estratégia regional (DER) define os objectivos e prioridades da cooperação regional com base no Instrumento Europeu de Vizinhança e Parceria (IEVP) para o período 2007-2013. Neste contexto, visa a realização dos objectivos da política europeia de vizinhança (PEV), cujo objectivo consiste em conferir uma dimensão suplementar à parceria euro-mediterrânica (Processo de Barcelona) para reforçar o seu impacto, para além das relações bilaterais.

A situação política, económica, social e ambiental da região mediterrânica apresenta um certo número de desafios. A cooperação regional propõe uma resposta aos desafios que apresentam um interesse comum, nomeadamente transfronteiras, para os países da região. O DER vem assim completar os documentos de estratégia por país (DEP) estabelecidos para a Argélia, a Autoridade Palestiniana, o Egipto, Israel, a Jordânia, o Líbano, Marrocos, a Síria e a Tunísia.

Estratégia da resposta da UE

A União Europeia (UE) procura manter e reforçar o processo de reformas nos países parceiros mediterrânicos. Procura igualmente favorecer o diálogo, prestando apoio às instituições políticas nacionais através da colaboração proporcionada por diversos instrumentos.

A este título, o PIR identifica domínios de acção prioritários que apresentam valor acrescentado pela vantagem comparativa que podem proporcionar para reforçar a parceria euro-mediterrânica.

A cooperação em matéria de justiça, de segurança e de migração apresenta um interesse regional, incluindo as respectivas acções:

  • medidas de confiança para uma primeira vertente que incide sobre a promoção da cooperação no domínio da protecção civil e uma segunda vertente sobre uma parceria para a paz. Mais concretamente, o DER propõe, por exemplo, um apoio à gestão de crises e à aplicação de um código de conduta em matéria de luta contra o terrorismo;
  • uma vertente «polícia, justiça e imigração» a fim de consolidar os resultados obtidos no quadro dos programas anteriores e de intensificar a cooperação em matéria de gestão dos fluxos migratórios entre países de origem, de trânsito e de destino. Mais precisamente, esta vertente encoraja os contactos, as acções de formação e a assistência entre os serviços responsáveis pela aplicação da lei;
  • uma vertente «análise das políticas» cujo objectivo consiste em desenvolver a rede de institutos euro-mediterrânicos de política externa (EN) (FR), bem como o Instituto de investigação económica.

O desenvolvimento económico sustentável constitui uma prioridade para a realização da zona de comércio livre euro-mediterrânica até 2010. Esta prioridade compreende:

  • a promoção das reformas e dos investimentos para atrair os investidores;
  • a cooperação em matéria de redes de infra-estruturas nos sectores dos transportes e da energia;
  • a realização de uma zona de comércio livre e de integração económica regional Sul-Sul, assegurando a viabilidade ecológica da região;
  • um programa ambiental, incluindo nomeadamente a questão da poluição marinha.

O desenvolvimento social e o intercâmbio cultural colocam a tónica nos intercâmbios interpessoais e na sensibilização da opinião pública para a parceria através dos meios de comunicação social. Os seus elementos essenciais são:

  • a igualdade de género e a sociedade civil a fim de estimular o exercício de uma cidadania activa, de reforçar a igualdade entre homens e mulheres e de encorajar o reconhecimento do papel das mulheres;
  • a informação e a comunicação para promover a parceria e a PEV e melhorar a cooperação entre a UE e os diversos meios de comunicação social da região;
  • Euromed jeunesse (EN) (FR) Para estimular o diálogo entre os jovens das duas margens do Mediterrâneo, a integração dos jovens e a cidadania activa;
  • o diálogo entre as culturas e o património cultural.

A parceria com os países vizinhos permite também progredir no sentido de um grau significativo de integração com a UE, de reforçar as relações comerciais e de intensificar a cooperação em matéria de segurança. Todavia, a apropriação e a vontade dos países parceiros é essencial para garantir a eficácia da parceria.

Modalidades

O orçamento indicativo para o período 2007-2010 ascende a 343,3 mil milhões de euros.

O PIR para o período 2007-2013 apresenta os programas relativos a cada prioridade. Neste sentido, define indicadores de resultados para a avaliação do impacto, bem como os resultados esperados, tais como:

  • a restauração da confiança no interior e entre as sociedades, reforçando a sociedade civil e os laços transnacionais;
  • a consolidação das redes e a cooperação judiciária e policial Euromed;
  • o apoio à integração social dos trabalhadores migrantes e das suas famílias;
  • o aumento do número de projectos de investimento e a criação de novos empregos graças a um programa regional de promoção dos investimentos;
  • uma maior integração dos mercados da energia, abastecimentos energéticos seguros e o desenvolvimento das interligações e fontes de energia renováveis;
  • a sensibilização do público para a protecção do ambiente.

Contexto

Em conformidade com os objectivos da sua política externa, a UE promove a prosperidade, a solidariedade, a segurança e o desenvolvimento sustentável no mundo, bem como a democracia e os direitos humanos. A PEV, iniciada em 2003, prossegue estes objectivos, promovendo as relações de boa vizinhança. Para o efeito, a IEVP, o instrumento financeiro da PEV para 2007-2013, apoia os países parceiros da PEV, integrando a dimensão regional e transfronteiriça. Prossegue igualmente os objectivos identificados pelo programa MEDA 2002-2006, de que tira as respectivas lições.

ACTOS RELACIONADOS

Comunicação da Comissão ao Conselho e ao Parlamento Europeu, de 4 de Dezembro de 2006, sobre o reforço da política europeia de vizinhança [COM(2006) 726 final – Não publicado no Jornal Oficial].

Última modificação: 20.05.2008
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página