RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 11 idiomas

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


O programa CARDS (2000 - 2006)

Arquivos

O programa CARDS tem por objectivo fornecer assistência comunitária aos países da Europa do Sudeste com vista à sua participação processo de estabilização e de associação da União Europeia.

ACTO

Regulamento (CE) n° 2666/2000 do Conselho, de 5 de Dezembro de 2000, relativo à ajuda à Albânia, à Bósnia-Herzegovina, à Croácia, à República Federativa da Jugoslávia e à antiga República jugoslava da Macedónia que revoga o Regulamento n° 1628/96 e altera os Regulamentos (CEE) n° 3906/89 e (CEE) n° 1360/90 e as Decisões 97/256/CE e 1999/311/CE [Ver Actos Modificativos].

SÍNTESE

A assistência comunitária a favor dos países da Europa do Sudeste tem sido, até à data, executada na sua grande maioria no âmbito do Regulamento (CE) n° 1628/96 que estabelece o programa OBNOVA e do Regulamento (CE) n° 3906/89 que estabelece o programa PHARE. O regulamento acima citado revoga o regulamento do programa OBNOVA e altera o do PHARE, estabelecendo um quadro único para a assistência aos países da Europa do Sudeste: o programa CARDS (assistência comunitária para a reconstrução, o desenvolvimento e a estabilização). O Instrumento de Assistência de Pré-adesão (IAP) substitui-lo-á a partir de 2007.

A Albânia, a Bósnia-Herzegovina, a Croácia, a República Federativa da Jugoslávia e a antiga República jugoslava da Macedónia podem beneficiar da assistência comunitária, como também o podem as entidades sob a administração e a jurisdição das Nações Unidas, as entidades federadas, regionais ou locais, os organismos públicos e parapúblicos, os parceiros sociais, as organizações de apoio às empresas, as cooperativas, as sociedades mútuas, as associações, as fundações e as organizações não governamentais.

Contudo, a Croácia só pode ser elegível para a totalidade da assistência comunitária no quadro de projectos e de programas de dimensão regional. Com efeito, a Croácia, cujo estatuto de país candidato foi reconhecido no Conselho Europeu de Bruxelas de 17 e 18 de Junho de 2004, beneficia doravante da estratégia e dos instrumentos de pré-adesão.

O objectivo do programa CARDS é fazer participar os países da Europa do Sudeste no processo de estabilização e de associação. Visa designadamente:

  • A reconstrução.
  • A estabilização da região.
  • A ajuda ao regresso dos refugiados e dos deslocados.
  • O apoio à democracia, ao Estado de Direito, aos direitos humanos e das minorias, à sociedade civil, aos meios de comunicação independentes e à luta contra o crime organizado.
  • O desenvolvimento de uma economia de mercado sustentável.
  • A luta contra a pobreza, a igualdade dos sexos, a educação e a formação e a recuperação do ambiente.
  • A cooperação regional, transnacional, internacional e interregional dos países beneficiários com os da União e outros países da região.

A assistência comunitária está condicionada ao respeito dos princípios democráticos, do Estado de Direito, das liberdades fundamentais, dos direitos humanos e das minorias, bem como da execução das reformas democráticas, institucionais e económicas previstas.

Estabeleceu-se um quadro estratégico para o período 2002-2006 com vista a definir os objectivos a longo prazo e os domínios prioritários de intervenção do programa. Com base nesse quadro, são estabelecidos programas indicativos plurianuais por país por um período de três anos. Estes programas contêm as reformas a realizar, uma avaliação dos progressos realizados e orçamentos indicativos. Posteriormente, serão adoptados programas de acção anuais que definem com maior precisão os objectivos, domínios de intervenção e o orçamento, bem como os projectos concretos que serão financiados.

A assistência comunitária pode assumir a forma de programas de investimento e de reforço institucional ("institution building").

Podem participar nos convites à apresentação de propostas e nos contratos todas as pessoas singulares e colectivas dos Estados-Membros, dos Estados beneficiários e dos países candidatos. Com a autorização prévia da Comissão, podem também participar outros países terceiros beneficiários dos programas TACIS (EN) e MEDA (EN).

A Comissão Europeia é assistida na aplicação do novo regulamento pelo Comité CARDS que examina todas as questões relativas ao programa.

O orçamento do CARDS para o período 2000-2006 cifra-se em 4,65 mil milhões de euros.

Anualmente, a Comissão apresenta ao Parlamento Europeu e ao Conselho um relatório sobre os progressos da assistência comunitária concedida aos países da Europa do Sudeste. Antes de 31 de Dezembro de 2004, o Conselho deve reexaminar o regulamento em vigor com base numa avaliação efectuada pela Comissão e que esta lhe transmitirá antes de 30 de Junho de 2004.

Por força do regulamento em vigor, os países beneficiários podem participar nas actividades da Fundação Europeia para a formação e no programa TEMPUS III.

REFERÊNCIAS

ActoEntrada em vigorTransposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Regulamento (CE) n° 2666/200007.12.2000 - 31.12.2006-JO L 306 de 07.12.2000

Acto(s) modificativo(s)Entrada em vigorTransposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Regulamento (CE) n° 2415/200112.12.2001-JO L 327 de 12.12.2001
Regulamento (CE) n° 2257/200402.01.2005-JO L 389 de 30.12.2004
Regulamento (CE) n° 2112/200528.12.2005-JO L 344 de 27.12.2005

ACTOS RELACIONADOS

Regulamento (CE) n. o 1085/2006 do Conselho, de 17 de Julho de 2006 , que institui um Instrumento de Assistência de Pré-Adesão (IPA) [Jornal Oficial L 210 de 31.07.2006].

Programa de assistência CARDS aos Balcãs Ocidentais. Documento de estratégia regional CARDS 2002-2006
O quadro estratégico adoptado pela Comissão em Outubro de 2001 consagra um montante máximo de 197 milhões de euros para o período 2002-2006 à assistência aos países beneficiários do programa CARDS. Os principais objectivos são a resolução dos problemas regionais da zona e a promoção da cooperação regional entre esses países. Os domínios de acção do quadro estratégico são os seguintes:

  • Gestão comum das fronteiras.
  • Reforço da capacidade administrativa.
  • Apoio à estabilidade democrática.
  • Desenvolvimento e integração das infra-estruturas dos transportes, da energia e do ambiente da região nas redes europeias.

O anexo do quadro estratégico contém programas indicativos plurianuais relativos a cada país abrangendo o período 2002-2004.

Última modificação: 16.11.2006
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página