RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 11 idiomas

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Agenda de política social (2006-2010)

A Comissão Europeia propõe uma nova agenda social para o período de 2005-2010. O principal objectivo desta nova agenda é realizar "uma Europa social na economia mundial: empregos e oportunidades para todos".

ACTO

Comunicação da Comissão. Agenda de política social [COM(2005) 33 final - Não publicado no Jornal Oficial].

SÍNTESE

A presente comunicação identifica as prioridades pelas quais deverá pautar-se a acção da União Europeia no desenvolvimento do modelo social europeu. Destina-se também a promover a coesão social enquanto parte integrante da estratégia de Lisboa e da estratégia de desenvolvimento sustentável (). Esta revisão da Agenda Social tem ainda um papel fundamental na promoção da dimensão social do crescimento económico e aperfeiçoa a execução das acções previstas pela antiga Agenda Social (2000-2005) (castellanodeutschenglishfrançais).

A mais valia da Agenda Social é incontestável porque facilita a modernização dos sistemas nacionais num contexto de profundas mutações económicas e sociais e apoia o funcionamento harmonioso do mercado único, garantindo o respeito pelos direitos fundamentais e os valores comuns.

A Agenda desenvolve uma estratégia em duas vertentes: em primeiro lugar, realça o seu papel no reforço da confiança dos cidadãos; em segundo lugar, apresenta medidas fundamentais no âmbito de dois grandes temas que são o emprego e a igualdade de oportunidades e a inclusão social.

REFORÇO DA CONFIANÇA DOS CIDADÃOS

As medidas propostas pela Agenda têm por objectivo permitir aos cidadãos adquirir confiança na sua própria capacidade de gerir o processo de mudança, nomeadamente: a concorrência acrescida num contexto global, o desenvolvimento tecnológico e o envelhecimento demográfico.

Neste contexto, a Agenda apresenta várias condições essenciais:

  • Uma abordagem intergeracional.
  • Uma parceria para a mudança.
  • A integração da dimensão externa.

Uma abordagem intergeracional

As mudanças induzidas pela evolução demográfica - designadamente o envelhecimento das populações europeias -, a necessidade de adaptar os regimes de protecção social e de pensões, o imperativo de assegurar uma melhor integração dos jovens e de tratar a problemática das migrações, constituem desafios importantes.

Para esse efeito, a Comissão prevê uma análise dos desafios futuros e propõe uma série de acções para analisar as mutações demográficas das populações.

Uma parceria para a mudança

Visto que a parceria entre os poderes públicos, os parceiros sociais e a sociedade civil foi a chave do sucesso das políticas europeias, a Comissão proporá a organização de um fórum anual, reunindo todos os agentes pertinentes. O objectivo desta reunião será proceder à avaliação periódica da execução da Agenda.

A integração da dimensão externa

A Comissão tenciona também integrar o modelo social europeu nos diálogos e acções externas a nível bilateral, regional e multilateral.

OS DOIS TEMAS PRIORITÁRIOS

Os dois grandes temas prioritários abrangidos pelos objectivos estratégicos da nova Agenda são:

  • O emprego, no âmbito do objectivo de prosperidade.
  • A igualdade de oportunidades e a inclusão, no âmbito do objectivo da solidariedade.

Alcançar o pleno emprego

Para alcançar os objectivos de Lisboa em termos de crescimento e emprego, a Comissão propôs um ciclo renovado da Estratégia Europeia de Emprego no âmbito da revisão intercalar da estratégia de Lisboa. Este novo ciclo deve permitir sustentar o crescimento económico a longo prazo, combater o desemprego e as disparidades regionais e promover a coesão social.

A fim de colocar o Fundo Social Europeu ao serviço da convergência, do emprego e da competitividade, a Comissão prevê várias medidas, nomeadamente uma acção de sensibilização dos agentes do FSE em 2006 e uma campanha de comunicação junto dos parlamentos e dos agentes pertinentes em 2006-2007.

A Comissão propõe também o desenvolvimento de uma estratégia para prever, suscitar e gerir as mutações económicas com maior eficácia. Esta estratégia é desenvolvida em torno de quatro elementos:

  • Uma melhor integração das políticas europeias.
  • Um envolvimento acrescido dos parceiros sociais.
  • Uma sinergia reforçada entre as políticas e os instrumentos financeiros, nomeadamente o FSE.
  • Uma ligação mais intensa entre a Estratégia Europeia de Emprego e a evolução dos quadros regulamentares e dos acordos dos parceiros sociais.

Nesta nova Agenda, a Comissão introduz também uma nova dinâmica para as relações laborais e prevê várias iniciativas sobre a evolução do direito do trabalho, sobre a segurança e a saúde no trabalho e sobre a responsabilidade social das empresas.

A Comissão considera que é necessária a criação de um verdadeiro mercado de trabalho europeu. Este objectivo pressupõe a supressão dos entraves directos e indirectos que subsistem e a definição de políticas que criem as condições para que os agentes envolvidos possam tirar pleno partido do espaço europeu.

Com o objectivo de proporcionar aos parceiros sociais uma base para reforçar a sua capacidade de agir a nível transnacional, a Comissão prevê a adopção de uma proposta destinada a disponibilizar aos parceiros sociais um instrumento opcional para formalizar a natureza e os resultados da negociação colectiva transnacional.

A igualdade de oportunidades e a inclusão

A UE tem desempenhado um papel catalisador na aplicação do princípio da igualdade de tratamento. À medida que a actual estratégia-quadro 2000-2005 chega ao fim, a Comissão tenciona propor várias acções destinadas a resolver problemas como as disparidades salariais entre homens e mulheres, o acesso e a participação das mulheres no mercado de trabalho, a conciliação da vida familiar e profissional, a igualdade de oportunidades para as pessoas com deficiência, etc.

A Comissão prevê também organizar um Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades em 2007 com o objectivo de tornar visíveis os resultados obtidos e de ilustrar as vantagens da diversidade para a economia e a sociedade europeias.

Última modificação: 25.04.2005

Veja também

Para mais informações consultar o sítio da Direcção-Geral do Emprego, dos Assuntos Sociais e da Igualdade de Oportunidades (DE) (EN) (FR) da Comissão Europeia.

Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página