RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 11 idiomas

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Objectivos futuros concretos dos sistemas educativos

O presente relatório pretende definir, para a próxima década, em conformidade com o mandato conferido pelas conclusões do Conselho Europeu de Lisboa, realizado em 23 e 24 de Março de 2000, os objectivos futuros concretos dos sistemas de educação e formação, que permitirão a todos os cidadãos europeus participar na nova sociedade do conhecimento. Estes objectivos, definidos em conjunto, serão atingidos mediante a aplicação do "método aberto de coordenação".

ACTO

Relatório do Conselho "Educação", de 14 de Fevereiro de 2001, ao Conselho Europeu, sobre "Os objectivos futuros concretos dos sistemas educativos" [5680/01 EDU - Não publicado no Jornal Oficial].

SÍNTESE

Baseando-se nas contribuições dos Estados-Membros, a Comissão e o Conselho definiram diversos objectivos comuns para o futuro, bem como a forma pela qual os sistemas de educação e de formação deveriam contribuir para a realização do objectivo estratégico definido em Lisboa. Trata-se do primeiro documento que delineia, no quadro da União Europeia, uma abordagem global e coerente das políticas nacionais em matéria de educação.

O Conselho centrou a sua atenção sobre os três objectivos seguintes:

Objectivo 1: Aumentar a qualidade dos sistemas de educação e formação

A educação e a formação constituem um meio privilegiado de coesão social e cultural, bem como uma vantagem económica considerável, para o reforço da competitividade e do dinamismo na Europa. Importa, sobretudo, melhorar a qualidade da formação dos professores e dos formadores e consagrar um esforço especial à aquisição das competências básicas, que devem ser actualizadas a fim de corresponder à evolução da sociedade do conhecimento; trata-se igualmente de melhorar a aptidão dos cidadãos para a leitura, a escrita e a aritmética, nomeadamente no que diz respeito às tecnologias da informação e da comunicação, as competências transversais (por exemplo: aprender a aprender, trabalhar em equipa, etc.). O reforço da qualidade no equipamento dos estabelecimentos escolares e dos institutos de formação, a par da optimização na utilização dos recursos, é também uma prioridade, tal como a intensificação do recrutamento nos estudos técnicos e científicos, como as matemáticas e as ciências naturais, a fim de assegurar uma Europa competitiva na economia do futuro. Aumentar a qualidade dos sistemas de educação e de formação significa, por último, melhorar a adequação entre os recursos e as necessidades, permitindo aos estabelecimentos escolares realizar novas parcerias com o intuito de os ajudar no seu novo papel, mais diversificado do que outrora.

No atinente ao primeiro objectivo, os resultados concretos a alcançar são:

  • Assegurar, até final de 2001, o acesso de todos os estabelecimentos de educação e formação à Internet e aos recursos multimédia.
  • Velar por que, até final de 2002, todos os professores implicados tenham qualificações na utilização destas tecnologias.
  • Aumentar anual e substancialmente o investimento per capita em recursos humanos.

Objectivo 2: Facilitar o acesso de todos à educação e à formação

O modelo europeu de coesão social deve facultar a todos os cidadãos o acesso aos sistemas de educação e formação formais ou não formais facilitando, nomeadamente, a passagem de um sistema a outro (por exemplo, da formação profissional ao ensino superior) e desde a primeira infância à idade adulta. A abertura dos sistemas de educação e de formação, a par de um esforço para tornar estes sistemas mais atractivos ou mesmo adaptados às necessidades dos diferentes grupos em causa, pode desempenhar um papel importante para a promoção de uma cidadania activa, da igualdade de oportunidades e da coesão social duradoura.

Objectivo 3: Abrir os sistemas de educação e formação ao mundo

Este objectivo compreende, por um lado, a construção do espaço europeu de educação e formação pela mobilidade e pelo ensino das línguas estrangeiras e, por outro, o reforço das relações com o mundo do trabalho, da investigação e da sociedade civil no seu conjunto.

Os resultados concretos a alcançar são:

  • Favorecer a formação dos chefes de empresa e dos trabalhadores independentes.
  • Encorajar o estudo de duas línguas da União Europeia que não a(s) língua(s) materna(s), durante um período mínimo de dois anos consecutivos.
  • Favorecer a mobilidade de estudantes, professores, formadores e investigadores.

CONTEXTO

"Tornar-se na economia baseada no conhecimento mais dinâmica e competitiva do mundo, capaz de garantir um crescimento económico sustentável, com mais e melhores empregos, e com maior coesão social" - este é o novo objectivo estratégico para a União Europeia enunciado no Conselho Europeu de Lisboa, de 23 e 24 de Março de 2000

Baseando-se numa proposta da Comissão e nas contribuições dos Estados-Membros, o Conselho adoptou o presente relatório que foi aprovado, em Março de 2001, pelo Conselho Europeu de Estocolmo. Este, solicitou a elaboração de um programa de trabalho pormenorizado

O Conselho Europeu de Lisboa preconizou a utilização do método aberto de coordenação para atingir este objectivo estratégico. O método aberto de coordenação, consiste numa estratégia coordenada que permite aos Estados-Membros determinar objectivos comuns e instrumentos.

ACTOS RELACIONADOS

Resolução do Conselho, de 19 de Dezembro de 2002, sobre a promoção de uma cooperação europeia reforçada em matéria de educação e de formação vocacionais. [Jornal Oficial C 13 de 18.01.2003].
Esta resolução pretende promover uma cooperação reforçada no domínio do ensino e da formação profissionais a fim de eliminar os obstáculos à mobilidade profissional e geográfica e promover o acesso à educação e à formação ao longo da vida. Para tal, o Conselho convida os Estados-Membros e a Comissão a adoptar medidas para melhorar a transparência e o reconhecimento das competências e das qualificações, no quadro dos sistemas de ensino e de formação profissionais, e promover o reforço da cooperação em matéria de qualidade dos sistemas europeus de ensino e de formação profissionais, a fim de assentar a confiança mútua numa base sólida. O Conselho convida também a Comissão a apresentar o avanço dos trabalhos no quadro do relatório sobre o seguimento dos objectivos futuros dos sistemas de educação e de formação na Primavera de 2004.

Programa de trabalho pormenorizado sobre o seguimento dos objectivos dos sistemas de educação e de formação na Europa [Jornal Oficial C 142/01 de 14.03.2002].

Relatório da Comissão, de 31 de Janeiro de 2001: os objectivos futuros concretos dos sistemas educativos [COM(2001) 59 final - Não publicado no Jornal Oficial].

A Comissão havia identificado cinco objectivos concretos a atingir:

  • Aumentar o nível da educação e da formação na Europa.
  • Facilitar e generalizar o acesso à educação e à formação a todas as fases da vida.
  • Actualizar a definição das competências básicas para a sociedade do conhecimento.
  • Abrir a educação e a formação à envolvente local, à Europa e ao resto do mundo.
  • Utilizar os recursos da melhor forma.
Última modificação: 18.05.2006
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página