RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 11 idiomas

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Estratégia de informação sobre o euro

Arquivos

1) OBJECTIVO

Recordar o carácter altamente prioritário das acções de comunicação e de informação com vista a preparar todos os cidadãos para a passagem à moeda única e incentivar e assistir os operadores económicos e financeiros dos sectores público e privado a preparar e a aplicar os mecanismos necessários à transição para o euro.

2) ACTO

Comunicação da Comissão, de 6 de Fevereiro de 1998, relativa à estratégia de informação sobre o euro [COM(98) 39 final - Não publicada no Jornal Oficial].

3) SÍNTESE

O êxito da introdução da moeda única depende simultaneamente dos seguintes factores:

  • os preparativos técnicos necessários em todos os sectores da economia;
  • a preparação de todos os cidadãos no sentido de compreender, aceitar e utilizar o euro.

Trata-se dos dois aspectos que uma estratégia de comunicação sobre o euro deve privilegiar.

Importantes trabalhos em matéria de comunicação foram já lançados pelas entidades públicas a nível nacional e europeu, bem como pelos sectores sócio-económicos.

No que diz respeito às acções comunitárias, pode citar-se a título ilustrativo:

  • "O euro, uma moeda para a Europa", componente do programa PRINCE (programa de informação do cidadão europeu).
  • A zona EURO do servidor EUROPA na Internet .

Vários Estados-Membros iniciaram igualmente acções de comunicação de grande envergadura que associam a televisão e a divulgação em massa de material de informação.

De igual forma, as grandes organizações profissionais e muitos bancos difundiram, junto dos seus clientes, brochuras de informação muito pormenorizadas sobre a passagem ao euro.

Esta primeira etapa de comunicação permitiu alcançar três grandes objectivos:

  • assegurar, na sociedade em geral, a certeza e o carácter irreversível da passagem para a moeda única;
  • o início dos preparativos necessários para a introdução do euro pelos operadores económicos no seu conjunto;
  • a possibilidade de identificação do euro (símbolo monetário, notas e moedas).

Pode ser extraída uma ilação fundamental desta primeira etapa: para ser plenamente eficaz, uma acção de informação deve recorrer aos meios de comunicação e privilegiar uma comunicação concreta e o mais próxima possível dos seus destinatários.

A estratégia de comunicação do euro deve presentemente articular-se em torno de três datas fundamentais:

  • 2 de Maio de 1998: designação dos países em condições de aderir à moeda única, o que constituirá um acontecimento histórico e mediático importante que suscitará uma importante procura de informação;
  • o dia 1 de Janeiro de 1999 deverá ser utilizado para multiplicar as acções de informação numa fase em que o público e todos os operadores económicos estarão particularmente exigentes e receptivos;
  • no decurso do ano 2001, deverá ser organizada uma campanha de informação de grande envergadura antes da introdução efectiva de notas e moedas em euro e da retirada de circulação das moedas nacionais.

A comunicação sobre o euro deve ser orientada pelo princípio da subsidiariedade (a fim de todos os cidadãos terem acesso directo a uma informação que responda às suas preocupações) e gerida no âmbito de uma parceria:

  • parceria com os Estados-Membros, que permita definir uma mensagem e os instrumentos adaptados às culturas e às estruturas nacionais;
  • parceria com os meios de informação que permita uma comunicação centrada e à qual incumbirá a difusão de uma informação de carácter prático e especializado.

As iniciativas da Comissão serão articuladas em torno dos eixos seguintes:

  • fornecimento de informações, de material de base e de apoio técnico aos meios de comunicação social e públicos especializados;
  • a participação na definição e execução de planos nacionais de comunicação sobre o euro, através de convenções de co-financiamento com os Estados-Membros;
  • a garantia da coerência, a nível comunitário, das acções de informação sobre o euro;
  • o fomento e a participação em iniciativas transnacionais, bem como em acções de informação e comunicação sobre o euro destinadas a países terceiros.

Até à data, as acções de informação centraram-se nos operadores financeiros, nas grandes empresas e nas administrações. Todos estes operadores têm vindo a consagrar-se de forma activa aos preparativos neste domínio. Os esforços em matéria de comunicação devem doravante ser orientados para novos objectivos prioritários: o grande público, as pequenas e médias empresas, as autarquias locais e os órgãos eleitos, os agentes da função pública e os países terceiros.

Todos os meios de comunicação social deverão ser utilizados de forma activa:

  • a rádio e a televisão, muito eficazes para chamar a atenção do grande público para uma acção destinada às massas;
  • as brochuras e os folhetos, pelos quais os cidadãos manifestam um interesse constante:
  • a Internet e os meios de comunicação modernos, que permitem difundir a informação com crescente eficácia e economia;
  • os meios que permitem responder directa e rapidamente às perguntas dos cidadãos (telefone, telecópia, correio electrónico, etc.);
  • os instrumentos caracterizados pelo seu grau de proximidade, tais como os "autocarros de informação", as exposições itinerantes, etc.

A experiência demonstrou que é difícil definir instrumentos ou mensagens sobre o euro susceptíveis de ter o mesmo impacto em todos os Estados-Membros e junto de todos os tipos de público. Alguns grandes princípios devem orientar a estratégia de comunicação sobre o euro: a importância de divulgar uma informação prática e concreta, de contribuir para a criação de um clima propício à compreensão e à utilização do euro pelo grande público e de avaliar o impacto das acções empreendidas junto da opinião pública.

4) MEDIDAS DE APLICAÇÃO

5) TRABALHOS POSTERIORES

Última modificação: 04.12.2002
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página