RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Banco Central Europeu (BCE)

O Banco Central Europeu (BCE) foi instituído em 1 de Junho de 1998. Goza de personalidade jurídica e de total independência face às instituições nacionais e europeias. O BCE assegura o bom funcionamento da União Económica e Monetária, administrando o Sistema Europeu de Bancos Centrais (SEBC). A sua principal missão consiste em manter a estabilidade dos preços, definindo a política monetária da União.

ACTO

Protocolo relativo aos estatutos do Sistema Europeu de Bancos Centrais e do Banco Central Europeu, em anexo ao Tratado da União Europeia e ao Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia[Jornal Oficial C 83 de 30.03.2010].

SÍNTESE

O presente protocolo estabelece as responsabilidades dos órgãos de decisão do Banco Central Europeu (BCE), o qual administra o Sistema Europeu de Bancos Centrais (SEBC). O protocolo especifica igualmente os objectivos e as missões do SEBC. Trata-se de um protocolo que foi anexado ao Tratado da União Europeia (UE) e ao Tratado sobre o Funcionamento da UE e que constitui o fundamento jurídico do BCE e do SEBC.

Sistema Europeu de Bancos Centrais (SEBC)

O SEBC é composto pelo Banco Central Europeu e pelos bancos centrais nacionais dos Estados-Membros. O seu objectivo principal consiste em manter a estabilidade dos preços ao nível da UE. Para o efeito, as missões do SEBC consistem em:

  • definir e executar a política monetária da União;
  • realizar as operações cambiais do euro face às divisas nacionais;
  • deter e gerir as reservas oficiais de divisas dos Estados-Membros;
  • promover o bom funcionamento dos sistemas de pagamentos.

Além disso, o SEBC é administrado pelos órgãos de decisão do BCE. Assim, o BCE é responsável por assegurar as missões do SEBC através das suas actividades. Os bancos centrais nacionais dos Estados-Membros são igualmente parte integrante do SEBC. Actuam em conformidade com as orientações e instruções emitidas pelo BCE.

De notar que o SEBC inclui o BCE e os bancos centrais nacionais de todos os Estados-Membros, independentemente de terem adoptado o euro ou não. Contrariamente, o protocolo também faz referência ao Eurosistema que inclui o BCE e apenas os bancos centrais nacionais dos Estados-Membros que adoptaram o euro. Como tal, o Eurosistema tem como missão definir e conduzir a política monetária da zona euro.

Banco Central Europeu (BCE)

O BCE é administrado por três órgãos:

  • O Conselho do BCE: o Conselho do BCE é composto pelos membros da Comissão Executiva e pelos governadores dos bancos centrais nacionais dos Estados-Membros que adoptaram o euro. O Conselho do BCE é o principal órgão de decisão do BCE. É responsável por definir as orientações e tomar as decisões necessárias ao cumprimento das missões do BCE. A sua principal função consiste, nomeadamente, em definir a política monetária da zona do euro. Para o efeito, o Conselho do BCE pode, por exemplo, fixar a taxa de juro à qual os bancos comerciais podem obter fundos junto do respectivo banco central.
  • A Comissão Executiva: a Comissão Executiva é composta pelo Presidente e pelo Vice-Presidente do BCE, bem como por quatro vogais. São nomeados pelo Conselho Europeu. A Comissão Executiva assegura a aplicação da política monetária, definida pelo Conselho do BCE. Para tal, a Comissão Executiva dá as instruções necessárias aos bancos centrais nacionais. Além disso, prepara as reuniões do Conselho do BCE e ocupa-se da gestão corrente do Banco.

O Conselho Geral: o Conselho Geral é composto pelo Presidente e pelo Vice-Presidente do BCE, bem como pelos Governadores dos bancos centrais do conjunto dos Estados-Membros da União. O Conselho Geral reúne, por conseguinte, os Governadores dos bancos centrais, tanto dos Estados-Membros que introduziram o euro como dos que ainda não o fizeram. O Conselho Geral é considerado o terceiro órgão de decisão do BCE, apesar do seu poder de decisão ser menor. Em especial, a sua missão é contribuir para as funções consultivas do BCE. Além disso, também é responsável por compilar informações estatísticas, elaborar relatórios de actividades, etc.

Competências do BCE

A principal missão do BCE é assegurar o funcionamento do SEBC, cooperando com os bancos centrais nacionais dos Estados-Membros. Contudo, é o BCE que define as condições mediante as quais os bancos centrais nacionais estão autorizados a intervir.

Assim, no âmbito do SEBC, as funções monetárias do BCE e dos bancos centrais nacionais são, em especial:

  • a emissão de notas e moedas. O BCE é a única entidade habilitada a autorizar a emissão de notas de banco na “zona do euro”. Os Estados-Membros podem emitir moedas, mas é o BCE que deve autorizar, antecipadamente, a quantidade da emissão.
  • a abertura de contas junto do BCE e dos bancos centrais nacionais para as instituições de crédito, organismos públicos e outros intervenientes no mercado.
  • as operações de “open market”, ou seja, quando o BCE ou os bancos centrais nacionais intervêm nos mercados de capitais, por exemplo, concedendo ou contraindo empréstimos;
  • as operações de crédito, com as instituições de crédito ou outros intervenientes no mercado;
  • a imposição às instituições de crédito sedeadas nos Estados-Membros de constituir reservas obrigatórias junto do BCE ou dos bancos centrais nacionais;
  • o estabelecimento de regulamentos de modo a garantir a eficácia e solidez dos sistemas de pagamentos e de compensação;
  • as relações internacionais com os bancos centrais e as instituições de crédito de países terceiros e as organizações internacionais.

Disposições financeiras e gerais

O Protocolo prevê certas disposições financeiras quanto ao SEBC. Trata-se, por exemplo, das disposições relativas às contas financeiras, à verificação das contas, ao capital do BCE, à grelha de repartição para a subscrição de capital, às transferências de activos das reservas de divisas para o BCE, etc.

O BCE está habilitado a adoptar os regulamentos (directamente aplicáveis em todos os Estados-Membros) ou a tomar as decisões (obrigatórias para o destinatário) necessários para a realização das missões definidas neste protocolo. Além disso, pode emitir recomendações e pareceres (que não são juridicamente vinculativos).

O Tribunal de Justiça da UE (TJUE) assegura o controlo jurisdicional dos actos ou omissões do BCE. A nível nacional, os Tribunais de Justiça dos Estados-Membros são competentes para tomar decisões relativamente a litígios entre o BCE e os seus credores, devedores ou qualquer outra pessoa, a menos que o TJUE se declare competente. O BCE encontra-se sujeito ao regime de responsabilidade previsto no artigo 340.º do Tratado sobre o Funcionamento da UE. Finalmente, o BCE goza no território dos Estados-Membros dos privilégios e imunidades necessários para a realização das suas missões, de acordo com as condições previstas no Protocolo relativo aos Privilégios e Imunidades da União Europeia.

A sede do BCE foi fixada em Francoforte (Alemanha) por comum acordo dos Chefes de Estado ou de Governo dos Estados-Membros.

REFERÊNCIAS

ActoEntrada em vigorTransposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Protocolo n.º 4 relativo aos estatutos do Sistema Europeu de Bancos Centrais e do Banco Central Europeu.

-

-

Jornal Oficial C 83 de 30.03.2010

A presente ficha de síntese é divulgada a título de informação. Não tem por objectivo interpretar ou substituir o documento de referência, que é a única base jurídica vinculativa.

Última modificação: 07.01.2011

Veja também

Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página