RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


A União Europeia e as Nações Unidas: a escolha do multilateralismo

A União Europeia (UE) deve reforçar a sua participação no sistema de governança e nas actividades da Organização das Nações Unidas (ONU). Com efeito, a cooperação dentro da comunidade internacional é uma condição prévia essencial para enfrentar os desafios mundiais, como, por exemplo, a luta contra a pobreza ou as alterações climáticas.

ACTO

Comunicação da Comissão ao Conselho e ao Parlamento Europeu, de 10 de Setembro de 2003 - A União Europeia e as Nações Unidas: a escolha do multilateralismo [COM(2003) 526 final - Não publicada no Jornal Oficial].

SÍNTESE

A presente comunicação analisa os meios de que a União Europeia (UE) dispõe para contribuir para a melhoria contínua da governança global através do sistema de governança da Organização das Nações Unidas (ONU) *.

Assim, a UE renova o seu apoio ao sistema de governança multilateral * da ONU, enquanto instrumento de adopção de soluções concretas a nível mundial, nomeadamente em prol do desenvolvimento sustentável, da redução da pobreza, da paz e da segurança.

Eficácia da governança multilateral

A UE deve reforçar a sua contribuição com vista à adopção e à aplicação das políticas e dos instrumentos multilaterais, pois a sua influência pode ser determinante para a aplicação de compromissos mundiais pelos seus Estados-Membros e pelos países terceiros que sejam seus parceiros.

Para além disso, a UE deve participar mais activamente no processo de reforma institucional da ONU de forma a aumentar a eficácia do sistema, a adaptá-lo às evoluções das relações multilaterais e a promover a política internacional de ajuda ao desenvolvimento.

De igual modo, uma melhoria da coordenação e da cooperação a nível internacional deve facilitar o acompanhamento dos compromissos e reforçar a acção em favor da paz, da segurança e dos direitos humanos.

Por fim, a política externa europeia apoia o reforço das capacidades dos países em desenvolvimento com vista à aplicação dos seus compromissos internacionais. Assim, a UE integra, nomeadamente nos seus programas de política externa, os objectivos de desenvolvimento sustentável, de ajuda ao comércio, de promoção das normas de trabalho decente, de luta contra o terrorismo, o tráfico de droga e a criminalidade organizada.

Eficácia da colaboração

A Comissão apresenta um conjunto de orientações para uma parceria mais vasta entre a UE e a ONU, de forma a:

  • intensificar o diálogo político, graças ao aumento das reuniões de alto nível e à cooperação com as agências da ONU;
  • reforçar a representação da UE dentro da ONU;
  • aumentar a cooperação e a contribuição financeiras da UE nas operações da ONU;
  • concluir parcerias estratégicas com as agências, os fundos e os programas da ONU no domínio da ajuda ao desenvolvimento e da ajuda humanitária;
  • conduzir um diálogo estratégico para a coordenação das intervenções de ajuda humanitária.

A cooperação política e técnica deve também ser aprofundada no domínio da paz e da segurança, tanto para a prevenção de conflitos, como para a gestão das crises ou a gestão das situações de pós-crise. Esta parceria deve ser sistematicamente alargada às organizações regionais responsáveis (como, por exemplo, a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) e o Conselho da Europa).

Promoção dos valores e dos interesses da UE

A UE contribui substancialmente para a elaboração das políticas adoptadas no seio da ONU. No entanto, continua a ser necessário melhorar a coordenação das posições dos seus Estados-Membros e a coerência dos objectivos da Política Externa e de Segurança Comum (PESC) com as posições do Conselho de Segurança da ONU, bem como alargar o papel das delegações da UE junto da ONU.

Para aumentar a influência da UE dentro do sistema de governança da ONU, a Comissão recomenda:

  • coordenar as posições dos Estados-Membros e participar o mais cedo possível no processo de tomada de decisões, nomeadamente em matéria de política social internacional, de saúde, de direitos humanos, de cooperação para o desenvolvimento e de ajuda humanitária;
  • melhorar a coordenação e o diálogo da UE com os países ou os grupos de países afectados por temas específicos;
  • assegurar que as políticas europeias são compatíveis com as políticas internacionais e garantir uma representação europeia eficaz nos trabalhos da ONU sobre assuntos relacionados com a UE.
Palavras-chave
  • Sistema de governança da ONU: conceito definido pela Comissão como aplicável aos principais órgãos da ONU (nomeadamente a Assembleia Geral, o Conselho Económico e Social, bem como os respectivos órgãos subsidiários, o Conselho de Segurança, o Secretariado), bem como os programas, os fundos e as agências especializadas das Nações Unidas, incluindo as instituições de Bretton Woods (nomeadamente o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional).
  • Governança multilateral: modo de organização das relações internacionais que implica mais de dois Estados.
Última modificação: 08.09.2011

Veja também

  • O Web site da delegação da União Europeia junto da Organização das Nações Unidas (EN) (ES) (FR)
  • Os principais órgãos da Organização das Nações Unidas (EN) (ES) (FR)
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página