RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Plano de Trabalho para a Cultura 2011-2014

Este segundo plano de trabalho, adoptado ao abrigo da Agenda Europeia para a Cultura, estabelece as actividades, ao nível nacional e da União Europeia, a realizar no domínio da cultura durante o período 2011-2014. Estas actividades centram-se em seis prioridades: diversidade cultural e diálogo intercultural, indústrias culturais e criativas, competências e mobilidade, património cultural, a cultura nas relações externas e estatísticas no domínio da cultura.

ACTO

Conclusões do Conselho e dos Representantes dos Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, sobre o Plano de Trabalho para a Cultura 2011-2014 [Jornal Oficial C 325 de 2.12.2010].

SÍNTESE

Com base nos objectivos estratégicos definidos na agenda europeia para a cultura e após os resultados do Plano de Trabalho para a Cultura 2008-2010, o presente plano de trabalho estabelece seis prioridades para o domínio cultural, que prevêem a realização de actividades específicas.

Prioridade A: diversidade cultural, diálogo intercultural e cultura acessível e inclusiva

Um grupo de trabalho constituído por peritos dos países da União Europeia (UE) identificará políticas e manuais de boas práticas para as instituições artísticas e culturais públicas, a fim de promover:

  • o acesso e a participação na cultura, nomeadamente dos grupos vulneráveis;
  • a diversidade cultural e o diálogo intercultural, sublinhando o aspecto intercultural do património e fomentando a educação artística e cultural, bem como o desenvolvimento de competências interculturais.

O grupo de trabalho irá igualmente redigir um manual de boas práticas, destinado às autoridades culturais e educativas aos níveis nacional e europeu, sobre a competência essencial «sensibilidade e expressão culturais».

A Comissão irá apoiar cidades culturalmente inclusivas através da identificação de boas práticas, bem como o multilinguismo através do estudo do contributo da legendagem para a aprendizagem de línguas estrangeiras.

Prioridade B: indústrias culturais e criativas

Um grupo de trabalho irá criar um guia de orientações políticas e manuais de boas práticas sobre:

  • a utilização de mecanismos de apoio da UE para promover o papel da cultura no desenvolvimento local e regional;
  • estratégias para o apoio à exportação e internalização de indústrias culturais e criativas;
  • os mecanismos financeiros disponíveis para as pequenas e médias empresas no terreno.

A Comissão irá avaliar os resultados e propor o seguimento a dar ao Livro Verde sobre o potencial das indústrias culturais e criativas, bem como estabelecer a «Aliança Europeia das Indústrias Criativas». Irá também promover o desenvolvimento do turismo cultural e a gestão sustentável do mesmo para o desenvolvimento social e económico da Europa.

Prioridade C: competências e mobilidade

Com o objectivo de identificar obstáculos a programas de apoio à mobilidade, um grupo de trabalho irá analisar e avaliar esses programas com vista à criação de boas práticas para ultrapassar os referidos obstáculos. O grupo irá igualmente identificar tipos de parcerias criativas bem sucedidas, como base para a elaboração de um guia de orientações políticas para promover essas mesmas parcerias. Além disso, o grupo de trabalho irá redigir um manual de boas práticas para todas as fases das residências de artistas.

A Comissão irá examinar a possibilidade de criar conselhos sectoriais para a cultura ao nível da UE, para apoiar a identificação e o desenvolvimento das competências necessárias no sector. Para promover a literacia mediática, a Comissão realizará um estudo para avaliar os níveis de literacia nos países da UE. A Comissão irá também elaborar propostas relativas ao conteúdo e aos padrões das informações e dos serviços de aconselhamento para a mobilidade. Além disso, irá desenvolver um manual de boas práticas sobre as práticas administrativas relacionadas com a mobilidade dos artistas, destinado às autoridades nacionais.

Prioridade D: património cultural, incluindo a mobilidade das colecções

Para simplificar os processos relacionados com a mobilidade das colecções, um grupo de trabalho identificará boas práticas com vista à elaboração de uma «caixa de ferramentas».

A Comissão, juntamente com os países da UE, realizará um trabalho de acompanhamento da digitalização do património cultural. Tal inclui o trabalho sobre o património cinematográfico e a Europeana. Além disso, irão implementar a decisão relativa à Marca do Património Europeu, preparando o formulário de candidatura e as orientações para os processos de selecção e monitorização.

Por fim, a Comissão irá desenvolver uma «caixa de ferramentas» sobre o combate ao tráfico de bens culturais e analisar os sistemas para avaliação de obras de arte.

Prioridade E: a cultura nas relações externas

Os países da UE e a Comissão irão desenvolver uma abordagem estratégica da cultura nas suas relações externas. Irão também melhorar a cooperação nesta matéria, nomeadamente através de uma ferramenta comum que a Comissão disponibilizará para partilha de informações. Além disso, continuarão a promover a ratificação da Convenção da UNESCO sobre a Protecção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais por países parceiros, bem como a proceder eles próprios à sua implementação, incorporando os objectivos da convenção nas políticas relevantes ao nível nacional e da UE. Quando necessário, a Comissão irá também criar grupos de peritos para apoiar o desenvolvimento das relações culturais com países não pertencentes à UE.

Prioridade F: estatísticas no domínio da cultura

A Comissão, em conjunto com os países da UE, irá trabalhar no sentido de melhorar as metodologias e as informações sobre as estatísticas no domínio da cultura, incluindo:

  • a criação de um quadro metodológico;
  • a publicação de uma nova edição do «livro de bolso» do Eurostat.

Além destes aspectos, a Comissão criará um grupo de peritos para produzir uma «caixa de ferramentas» para recolha de amostras de dados relativos à mobilidade dos artistas e dos profissionais da cultura, de forma a melhorar as estatísticas neste campo.

Última modificação: 17.02.2011
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página