RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Preços dos produtos oferecidos aos consumidores

Relativamente a todos os produtos vendidos por comerciantes a consumidores, é obrigatório indicar o preço de venda e o preço por unidade, a fim de melhorar a informação dos consumidores e facilitar a comparação dos preços. Essas indicações devem ser inequívocas e facilmente legíveis e identificáveis.

ACTO

Directiva 98/6/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de Fevereiro de 1998, relativa à defesa dos consumidores em matéria de indicações dos preços dos produtos oferecidos aos consumidores.

SÍNTESE

Relativamente a todos os produtos vendidos por comerciantes a consumidores, o preço de venda e o preço por unidade de medida devem ser indicados de forma inequívoca, facilmente identificável e claramente legível. De forma inequívoca quer dizer, neste caso, o preço final, incluindo IVA e outros impostos.

Não é necessário indicar o preço por unidade de medida se este for idêntico ao preço de venda.

No entanto, os Estados-Membros podem decidir não aplicar esta regra a:

  • Produtos fornecidos por ocasião de uma prestação de serviços.
  • Vendas em leilão e vendas de objectos de arte e antiguidades.

Quanto aos produtos vendidos a granel, será indicado apenas o preço por unidade de medida.

Qualquer publicidade que mencione o preço de venda deve igualmente indicar o preço unitário.

Os Estados-Membros podem:

  • Dispensar da obrigação de indicar o preço por unidade de medida os produtos para os quais tal indicação não seja útil, ou seja susceptível de gerar confusões.
  • Estabelecer uma lista de produtos não alimentares que continuarão sujeitos à obrigação de indicação do preço por unidade de medida.

A directiva prevê um período de transição durante o qual os pequenos estabelecimentos de comércio a retalho não são obrigados a indicar o preço por unidade de medida dos produtos que não sejam vendidos a granel.

Os Estados-Membros:

  • Tomarão as medidas adequadas para informar os interessados da transposição da presente directiva para o direito nacional.
  • Determinarão e darão a conhecer as sanções aplicáveis às violações das disposições nacionais adoptadas em aplicação da presente directiva.

A presente directiva revoga as Directivas 79/581/CEE (preços dos géneros alimentícios ( (DE) (EN) (ES) (FR) (DE) (EN) (ES) (FR) (DE) (EN) (ES) (FR) (DE) (EN) (ES) (FR))) e 88/314/CEE (preços dos produtos não alimentares) com efeitos a partir de 18 de Março de 2000.

REFERÊNCIAS

ActoEntrada em vigor - Data do termo de vigênciaPrazo de transposição nos Estados-MembrosJornal Oficial
Directiva 98/6/CE [adopção: co-decisão COD/1995/0148]18.03.199818.03.2003JO L 80 de 18.03.1998

ACTOS RELACIONADOS

Comunicação da Comissão ao Conselho e ao Parlamento Europeu, de 21 de Julho de 2006, sobre a aplicação da Directiva 1998/6/CEE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de Fevereiro de 1998, relativa à defesa dos consumidores em matéria de indicações dos preços dos produtos oferecidos aos consumidores [COM(2006) 325 final - Não publicada no Jornal Oficial].
A comunicação, por um lado, indica que, apesar de a directiva se aplicar unicamente aos produtos móveis, vários Estados-Membros incluíram igualmente no seu âmbito de aplicação os serviços. Estes Estados-Membros são a Alemanha, a Bélgica, a Eslováquia, a Eslovénia, a Estónia, a Hungria, a Letónia, a Lituânia, o Luxemburgo, a Polónia, Portugal e a República Checa.
Por outro lado, confirma que todos os Estados-Membros isentaram determinadas categorias de bens ou listas de produtos da obrigação de indicar o preço por unidade.
Além disso, o preço por unidade aplica-se também à publicidade. O facto de não o indicar é considerado como prática comercial enganosa e, portanto, como violação da directiva relativa às práticas comerciais desleais.

Publicidade comparativa de preços

Processo C-356/04: Pedido de decisão prejudicial apresentado por decisão do Rechtbank van Koophandel de Bruxelas, de 29 de Julho de 2004, no processo Lidl Belgium GmbH & Co KG contra NV Etablissementen Franz Colruyt [Jornal Oficial C 273 de 06.11.2004].
Este acórdão conclui que uma publicidade que compara os níveis de preços de diferentes supermercados fazendo uma extrapolação a partir da comparação do preço de uma amostra é uma publicidade enganosa e, consequentemente, ilícita.

Em 23 de Abril de 1998, a Comissão apresentou uma recomendação relativa à dupla afixação de preços e de outros montantes monetários.

 
Última modificação: 03.11.2006
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página