Para saber mais sobre as bandeiras europeias
European Union

União Europeia e Europa

A bandeira europeia é composta por doze estrelas douradas dispostas em círculo sobre um fundo azul. O círculo de estrelas simboliza os ideais de unidade, solidariedade e harmonia entre os povos da Europa. O número de estrelas não está relacionado com o número de Estados-Membros da UE.

A bandeira europeia representa não só a União Europeia, mas também toda a Europa num sentido mais lato. A história da bandeira remonta a 1955, ano em que o Conselho da Europa, uma organização que visa defender os direitos do homem e promover a cultura europeia, a adotou para utilização própria. Ao longo dos anos que se seguiram, o Conselho da Europa incentivou as instituições europeias emergentes a adotar também a mesma bandeira. Em 1985, os líderes da UE adotaram-na como o emblema oficial da União Europeia (na altura denominada Comunidades Europeias).

Germany

Alemanha

A actual bandeira alemã, adoptada em 23 de Maio de 1949 com a criação da RFA (República Federal da Alemanha), corresponde à bandeira da Federação Alemã de 1848 e à da República de Veimar (1919-1933).

O negro, o vermelho e o ouro são as cores históricas da Alemanha que apareciam tanto nos uniformes dos Freikorps (Corpos francos) do Barão von Lützow nas guerras napoleónicas, como nas bandeiras da Prússia.

São igualmente as cores do Santo Império Romano-Germânico: o negro representa a águia, o vermelho o seu bico e as suas garras e o amarelo o escudo dourado.

Bulgaria

Bulgária

As três cores nacionais (branco, verde e vermelho) estão relacionadas com as cores usadas pelo antigo exército búlgaro. As alas esquerda e direita do exército distinguiam-se, respectivamente, pelas listas brancas e vermelhas nas suas lanças. As tropas de elite ocupavam o centro e eram identificadas por uma lista verde, a cor tradicional do soberano na altura. A bandeira tricolor foi usada pela primeira vez pela primeira legião búlgara de Georgi Rakovski (1861) e posteriormente confirmada como bandeira nacional da Bulgária pela Constituição de Turnovo (1879).

Belgium

Bélgica

A bandeira belga, inspirada na bandeira tricolor francesa, evoca as armas do Ducado de Brabante, que remontam ao séc. XII: um leão dourado com as garras e a língua encarnadas sobre fundo negro.

Aquando da revolta brabançã, em 1787, o povo bruxelense contrapôs às cores de José II (vermelho, branco e vermelho) a insígnia tricolor com as cores vermelha, amarela e negra.

Quando a Bélgica adquiriu a independência em 1830, foi adoptada oficialmente a bandeira actual, mas nessa altura as bandas passaram a ser horizontais. No ano seguinte, foi adoptada, por decreto governamental, a disposição vertical das bandas.

Cyprus

Chipre

A bandeira cipriota, adoptada aquando da independência em 1960, representa a ilha e dois ramos de oliveira sobre fundo branco, simbolizando a paz entre as comunidades grega e turca. No entanto, é mais frequente ver a bandeira grega no Sul da ilha e a bandeira turca no Norte.

O amarelo utilizado para a ilha faz alusão às minas de cobre exploradas em Chipre desde o terceiro milénio a.C. Aliás, a palavra cobre provém do nome grego de Chipre: Kypros.

Croatia

Croácia

A bandeira da Croácia é constituída por três riscas horizontais em tons de vermelho, branco e azul. No centro da bandeira, encontra-se o brasão da Croácia. Este é composto por um tabuleiro de xadrez vermelho e branco, que também é a base dos apelativos uniformes das equipas desportivas nacionais croatas como, por exemplo, da seleção nacional de futebol. Além disso, o escudo principal está coroado por cinco escudos históricos mais pequenos.

A bandeira tricolor vermelha, branca e azul é utilizada desde o século XIX, surgindo originalmente em 1848 como emblema dos revolucionários. No entanto, o emblema central mudou várias vezes desde então. A bandeira atual, com o brasão ao centro, foi adotada oficialmente em dezembro de 1990.

Denmark

Dinamarca

A bandeira dinamarquesa, ou Dannebrog, é provavelmente a mais antiga do mundo. Segundo a lenda, a sua origem remonta a 1219 quando o rei Valdemar II, à frente dos cruzados dinamarqueses, viu no céu sombrio uma cruz branca, que interpretou como sendo um sinal divino ordenando que atacasse os estónios. O vermelho da bandeira representaria o céu sombrio onde o monarca viu a cruz e o sangue derramado nessa batalha.

Slovakia

Eslováquia

A bandeira eslovaca tricolor horizontal branca-azul-vermelha apareceu pela primeira vez em 1848, mas sem o escudo. Este, representando a montanha tripla azul e o báculo patriarcal sobre um escudo vermelho, só foi acrescentado à bandeira, aquando da independência da Eslováquia, em 1992.

Slovenia

Eslovénia

A bandeira da Eslovénia, também uma bandeira tricolor branca, azul e vermelha, foi utilizada originalmente por patriotas eslovenos em 1848.

Em 1991, foram acrescentadas as novas armas da Eslovénia, que representam o Triglav, ponto culminante dos Alpes eslovenos, as três estrelas amarelas sobre fundo azul, que são as armas de antigo Ducado de Celje, e as pequenas ondas que simbolizam os rios e o mar Adriático.

Spain

Espanha

O vermelho e o ouro foram escolhidos como emblema nacional em 1785, mas a bandeira espanhola actual só foi adoptada em 1981.

As armas do Reino de Espanha incluem um escudo sobre o qual figuram os brasões dos antigos reinos de Castela (o castelo), de Leão (o leão rompente), de Aragão (quatro bandas verticais encarnadas sobre fundo de ouro) e de Navarra (corrente de ouro sobre fundo vermelho), com uma granada por baixo, símbolo do Reino de Granada. As colunas de Hércules, que representam o estreito de Gibraltar, foram acrescentadas por Carlos V para evocar a expansão ultramarina do seu império. A coluna com a palavra plus é encimada de uma coroa imperial e a outra de uma coroa real. As armas actuais do Estado são as da monarquia espanhola, que simbolizam as três flores-de-lis de ouro sobre fundo azul dos Borbons, que reinam de novo desde 1975.

Estonia

Estónia

A bandeira tricolor horizontal azul, negra e branca foi adoptada em 29 de Setembro de 1881 pela Associação de Estudantes da Estónia, denominada Virona. Foi brandida como bandeira nacional pelo povo nas revoluções de 1905 e 1917, tornou-se a bandeira da Estónia aquando da proclamação da independência em 24 de Fevereiro de 1918 e foi novamente adoptada em 1990 com a proclamação da soberania da Estónia.

Nos cantos folclóricos estónios, o azul simboliza o céu, o negro a terra e o branco a aspiração pela liberdade e a esperança no futuro.

Segundo outra interpretação, o azul simbolizaria a confiança mútua e a fidelidade, o negro os supostos antepassados dos estónios (um povo de negro vestido que Heródoto menciona em Histórias) e o branco a neve que cobre o país durante metade do ano.

Finland

Finlândia

Do séc. XII até ao início do séc. XIX, a Finlândia pertencia à Suécia. Após a obtenção da independência em 1917, adoptou uma bandeira nacional ornada de uma cruz escandinava com base no modelo da bandeira sueca.

Os clubes náuticos finlandeses já arvoravam bandeiras idênticas meio século antes, quando a Finlândia estava ainda sob dominação russa.

Quem primeiro propôs o azul e o branco para cores nacionais foi o poeta Zacharias Topelius em 1862. No ano seguinte, o diário Helsingfors Dagblad propôs uma bandeira branca com uma cruz azul.

O azul representa os lagos e o céu e o branco as terras cobertas de neve.

France

França

A bandeira francesa é uma herança da revolução francesa de 1789. As cores azul-branco-vermelho apareceram logo no início da revolução nas insígnias da guarda nacional.

O branco era a cor da monarquia, o azul e o vermelho as cores da cidade de Paris.

Desde então, a insígnia tricolor tornou-se símbolo de patriotismo revolucionário. Estas três cores foram adoptadas pelo povo francês e rapidamente apareceram nos estandartes e nas bandeiras.

A 15 de fevereiro de 1794, a bandeira tricolor foi declarada a bandeira nacional, tendo sido concebida pelo pintor David por ordem da Convenção.

Esta bandeira foi ininterruptamente utilizada desde 1848.

Greece

Grécia

Quando em 1822 o governo adoptou as bandeiras do exército e da frota naval da Grécia, todas arvoravam a mesma cruz branca, símbolo da fé cristã.

O azul e o branco foram escolhidos oficialmente como emblema na guerra da independência. O azul representa o céu e o mar e o branco a pureza dos combatentes pela liberdade.

As nove riscas horizontais lembram as nove sílabas do lema Eleftheria i Thanatos (Liberdade ou Morte).

Esta bandeira foi reintroduzida em 1978.

Hungary

Hungria

A partir do séc. XVII, o vermelho, o branco e o verde tornaram-se um elemento importante de decoração nas cerimónias de coroação.

Na década de 1830, começaram a ser dadas estas cores aos elementos patrióticos e, durante a revolução de 1848, a bandeira tricolor húngara foi proclamada bandeira nacional. Foi reintroduzida oficialmente em 1957.

As cores são as das armas húngaras: o escudo vermelho, as bandas brancas e o báculo patriarcal e a tripla montanha verde.

Ireland

Irlanda

A escolha de uma bandeira tricolor, a partir de 1830, foi inspirada na bandeira francesa. A disposição das cores (verde, branco, laranja) foi muitas vezes alterada e só definitivamente fixada na década de 1920, antes de ser formalmente adoptada em 1937.

O verde representa o movimento católico de libertação nacional e o laranja (cor da casa de Orange) os Protestantes. O branco, no centro, é símbolo de paz entre estas duas partes da população.

Italy

Itália

Na sua origem, esta bandeira era a da República Cisalpina fundada por Napoleão. Foi influenciada pela bandeira tricolor francesa e utilizada de 1798 a 1802.

Foi reintroduzida em 1848 pelo rei da Sardenha, que acrescentou na banda branca as armas da casa de Sabóia, tornando-se na bandeira de todo o Reino de Itália a partir de 1861. Com a queda da monarquia em 1946, as armas foram retiradas da bandeira.

Latvia

Letónia

A bandeira vermelha-branca-vermelha foi utilizada pelo povo letão a partir de 1279.

Em 1917, artistas letões decidiram mudar de vermelho para carmesim e reduzir a largura da banda branca. Banida durante a ocupação soviética, a bandeira foi reconhecida como bandeira civil em 1988, tendo passado a ser a bandeira nacional em 1990.

Lithuania

Lituânia

Em 1918, o Conselho nomeou um comissão especial encarregada de desenhar a bandeira nacional e, em 19 de Abril do mesmo ano, foi aprovada uma bandeira tricolor horizontal com as cores populares do traje tradicional lituano.

O amarelo representa o sol, símbolo da luz, o verde recorda a vegetação, representando a natureza e a vida, e o vermelho evoca a cor do amor e do sangue derramado pela Pátria.

Esta bandeira foi reintroduzida em 1989.

Luxemburg

Luxemburgo

As cores da bandeira luxemburguesa são as das armas do Luxemburgo. Inspirada na bandeira francesa pós-revolução, distingue-se da dos Países-Baixos pelas suas proporções ligeiramente diferentes e um azul menos carregado. Embora utilizada como emblema nacional desde o séc. XIX, só foi adoptada como bandeira oficial em 1972.

Malta

Malta

As duas cores da bandeira são as dos Cavaleiros de São João de Jerusalém.

A cruz de São Jorge foi acrescentada em 1942 quando o rei Jorge VI de Inglaterra a atribuiu aos habitantes da ilha em recompensa pelo seu comportamento heróico durante a II Guerra Mundial. Sobre a cruz figura o lema «Pela bravura».

Esta bandeira só foi adoptada oficialmente como emblema nacional em 1964, aquando da proclamação da independência de Malta.

Netherlands

Países-Baixos

A origem da bandeira neerlandesa remonta a 1579, aquando da proclamação da independência dos Países-Baixos. Arvorava nessa altura as cores laranja, branca e azul que são as cores dinásticas de Guilherme I.

A cor laranja foi substituída pelo vermelho no séc. XVII, mais o laranja continua a ser a cor nacional e, nos feriados ou nas deslocações diplomáticas ao estrangeiro, a bandeira nacional é sempre acompanhada de uma bandeira laranja.

Esta bandeira foi oficialmente adoptada em 1796 e confirmada como emblema nacional em 1937.

Distingue-se da do Luxemburgo pelas suas proporções ligeiramente diferentes e um azul mais carregado.

Poland

Polónia

A bandeira da Polónia é constituída por duas riscas horizontais, a de cima branca e a de baixo vermelha. Estas duas cores são as cores nacionais da Polónia. O branco representa uma águia branca, a qual é um símbolo do país desde o século XIII. Juntamente com um fundo vermelho, fez parte de vários estandartes, bandeiras e brasões polacos no passado.

Por essa razão, a bandeira bicolor branca e vermelha foi oficialmente adoptada como emblema nacional em 1919, um ano após a proclamação da independência da Polónia.

Portugal

Portugal

Em 1910, com a instauração da República, a bandeira branca e azul da realeza foi substituída pela actual verde e vermelha, representando o vermelho a revolução e o verde a esperança.

A esfera armilar, com as armas do Estado, simboliza os grandes descobrimentos dos navegadores portugueses.

Esta bandeira foi adoptada oficialmente em 1911.

United Kingdom

Reino Unido

A actual bandeira britânica, também denominada Union jack (pavilhão da União), é formada pela junção das cruzes :

- de São Jorge

- de Santo André

- de São Patrício

os padroeiros de Inglaterra, da Escócia e da Irlanda, respectivamente. Foi adoptada oficialmente em 1917.

A unificação dos reinos de Inglaterra e da Escócia no séc. XVII determinou a primeira versão da bandeira. Em 1801 foi-lhe acrescentada a cruz de São Patrício, aquando da integração da Irlanda no Reino Unido.

Czech Republic

República Checa

O vermelho e o branco são as cores tradicionais da Boémia. Figuravam em armas (representando um leão branco sobre um fundo vermelho) que datam de 1192.

A primeira bandeira checa vermelha e branca surgiu na I Guerra Mundial e tornou-se na primeira bandeira nacional da Checoslováquia em 1918.

Como só continha as cores da Boémia, foi-lhe acrescentado em 1920 o azul das armas da Morávia e da Eslováquia.

Esta mesma bandeira foi proclamada bandeira da República Checa em 1992.

Romania

Roménia

Embora as três cores tão queridas dos romenos datem da época de Miguel, o Bravo (1593-1601), a bandeira tricolor é relativamente recente. O seu aparecimento data da primeira metade do século XIX, tendo sido oficialmente adoptada como bandeira romena em 1859, quando da ascensão ao trono do príncipe Alexandru Ioan Cuza que levou à unificação das províncias da Valáquia e da Moldávia.

Sweden

Suécia

Embora a origem da bandeira sueca remonte ao séc. XVI, a suas cores e proporções actuais foram fixadas em 1982.

Por decreto real de 1569, o Rei João III determinou que todos os navios da frota sueca deviam arvorar a cruz dourada.

Esta bandeira, inspirada no Dannebrog dinamarquês, retoma as cores das armas da Suécia, que datam do séc. XIV e representam três coroas de ouro num fundo azul.

Austria

Áustria

A bandeira austríaca representava, desde o séc. XIII, um escudo vermelho sobre uma faixa branca horizontal. As bandas vermelha-branca-vermelha apareceram pela primeira vez em 1787 nas insígnias de guerra nacionais.

A bandeira actual foi adoptada como bandeira nacional em 1918, como emblema civil em 1921 e foi reintroduzida em 1 de Maio de 1945 no final da ocupação alemã.


Fechar esta janela e voltar ao jogo