Percurso de navegação

O euro

Moeda comum a 18 dos 28 países da UE, diariamente utilizada por cerca de 334milhões de europeus, o euro é a prova mais tangível da integração europeia. As suas vantagens são óbvias para qualquer pessoa que viaje para o estrangeiro ou faça compras pela Internet em sítios estabelecidos noutros países da UE.

Cooperação monetária na UE

A União Económica e Monetária implica a coordenação das políticas económicas e orçamentais, uma política monetária comum e uma moeda comum. O euro foi introduzido em 1 de Janeiro de 1999 como moeda virtual para fins contabilísticos e pagamentos sem utilização de numerário. Posteriormente, em 1 de Janeiro de 2002, foram introduzidas as notas e moedas de euro.

Que países adotaram o euro?

O euro (€) é a moeda oficial de 18 dos 28 países da UE. Esses países, que constituem a chamada área do euro ou zona euro, são os seguintes:

Mais informações sobre os países da UE e o euro.

No mundo inteiro, mais de 175 milhões de pessoas utilizam moedas indexadas ao euro.

Objetivo do euro

Uma moeda única oferece muitas vantagens, entre as quais a de pôr termo aos custos cambiais e à flutuação das taxas de câmbio. O comércio transfronteiras torna-se assim mais fácil para as empresas e a conjuntura económica mais estável, permitindo o crescimento da economia e oferecendo mais possibilidades de escolha aos consumidores. Uma moeda única incentiva também as pessoas a viajar e a fazer compras no estrangeiro. A nível mundial, o euro confere mais peso à UE, na medida em que se tornou a segunda moeda internacional mais importante, a seguir ao dólar americano.

Gestão do euro

A política monetária da UE é da responsabilidade de uma entidade independente, o Banco Central Europeu (BCE), cujo principal objetivo é manter a estabilidade dos preços. Cabe também ao BCE fixar as taxas de juro de referência English para a zona euro. Embora os impostos continuem a ser cobrados pelos países da UE, cada um dos quais determina o seu próprio orçamento, os governos nacionais definiram normas comuns em matéria de finanças públicas English (en) para poderem coordenar a sua ação de forma a fomentar a estabilidade, o crescimento e o emprego.

A crise económica e financeira

Desde o início da crise económica English (en) mundial, em 2008, tem-se assistido a um empenhamento constante e determinado dos governos dos países da UE, do Banco Central Europeu e da Comissão Europeia, que têm colaborado de forma estreita para promover o crescimento e o emprego, proteger a poupança, manter um fluxo de crédito acessível aos particulares e às empresas, assegurar a estabilidade financeira e instaurar um melhor sistema de governação para o futuro.